Teles criam frente de combate ao roubo de celulares

Grupo formado por 13 companhias vai compartilhar informações e cooperar com governos para bloquear aparelhos furtados e proibir comércio ilegal na região


Um grupo formado por 13 operadoras de celular da América se uniu vai colaborar com governos e autoridades da região para reduzir o roubo de celulares e crimes relacionados. O compromisso foi anunciado nesta terça-feira (17/07) pela Global Systems for Mobile Communications (GSM) América Latina, entidade que representa os interesses das prestadoras de serviço móveis em todo o mundo.

A iniciativa das associadas da GSMA permitirá que as informações sobre o dispositivo móvel roubado sejam compartilhadas para bloquear esses dispositivos e dificultar o seu comércio e a reutilização na região.

O acordo engloba as principais operadoras da região, como Telefónica (que controla a Vivo no Brasil), América Móvil (Claro) e Telecom Italia (TIM). A Oi também será convidada, diz a GSMA.

Em uma reunião do grupo de diretores de regulamentação, representantes das operadoras móveis regionais concordaram trocar informações sobre aparelhos roubados através da base de dados IMEI (código internacional que identifica o parelho desde que sai fábrica) da GSMA. 

Segundo o acordo, essa informação será utilizada para identificar dispositivos reportados como roubados pelos usuários para assegurar que sejam reconhecidos e, em seguida, bloqueados. 

“Esse esforço conjunto de todas as operadoras regionais para fazerem parte dessa iniciativa ajudará as agências reguladoras dos nossos países a enfrentar e lidar com essa praga”, informa Javier Delgado, presidente do CROG América Latina.
 
Essa ação coordenada pelas operadoras já está apresentando resultados na América Central, onde as agências reguladoras da indústria e telecomunicações da Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras e Panamá estão alinhando seus esforços para facilitar a identificação e o bloqueio de dispositivos roubados. 

“A ideia é basear-se na experiência da colaboração entre operadoras de telecomunicações e governos realizada na América Central e expandi-la de país em país em toda a região nos próximos seis meses”, explicou Delgado.

As operadoras membro da GSMA que estão comprometidas em se conectar à base de dados de aparelhos roubados e implementar medidas para bloquear terminais roubados em todos os países em que operam na América Latina são: America Movil, Antel, Cable & Wireless Panamá, Corporacion Digitel, Entel Bolívia, Entel Chile, ICE, Tigo Colômbia, Nextel/NII Holdings, Nuevatel PCS Bolívia, Orange República Dominicana, Telecom Itália e Telefonica

O acordo, cuja implementação completa está prevista para março de 2013, cobre mais de 500 milhões de conexões móveis na região. A GSMA continuará trabalhando para promover a adoção dessas diretrizes em todas as empresas membro da GSMA na América Latina através da assinatura de um memorando de entendimento entre as operadoras de país em país.


COMPARTILHAR EM:

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários