TIM expande cobertura 5G DSS em novos pontos de São Paulo

Entre essas localidades estão ciclofaixa, parque e outras cidades do estado.

Logotipo da TIM sobre a inscrição 5G.
Imagem ilustrativa.

A TIM anunciou na última semana que vai expandir sua rede 5G DSS, que é uma tecnologia de transição para o 5G definitivo, para diversos pontos da cidade e do estado de São Paulo.

Um desses lugares é a ciclofaixa da Marginal Pinheiros, além do entrono do Parque Ibirapuera. Outro ponto que passa a contar com a cobertura da nova tecnologia da operadora é o bairro Taquaral, em Campinas (SP). A expansão também foi realizada em toda a Orla de Santos, na Baixada Santista.

A empresa também oferece cobertura, utilizando a nova tecnologia, em outras localidades, como regiões de Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e Curitiba (PR).

No entanto, a TIM não é a única a ofertar cobertura 5G DSS no país, já que a Claro também disponibiliza o sinal em Brasília (DF), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), além de outras cidades do interior paulista.

VEJA TAMBÉM:

–> TIM derruba anúncios da Claro sobre ‘5G DSS’

–> ‘5G DSS’ da TIM já está em São Paulo, Brasília e Belo Horizonte

–> TIM reforça que 5G DSS chegará em 12 cidades até março

Já a Vivo oferece esse tipo de cobertura em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Salvador, Goiânia, Curitiba e Porto Alegre. A Oi também é outra operadora que também oferece sinal 5G DSS, mas apenas na capital do país.

Sobre o 5G DSS

Apesar da tecnologia DSS ser considerada um primeiro passo para o 5G, ainda não pode ser considerada como a quita geração para redes móveis e de banda larga propriamente dita.

Isso porque, a versão definitiva do 5G à qual teremos acesso, será ofertada apenas depois do leilão das faixas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que deve ser realizado em julho deste ano.

Já a sigla DSS significa Compartilhamento Dinâmico de Espectro, em inglês. O nome tem a ver com o processo ligado ao funcionamento dessa tecnologia, já que ela consegue alternar as frequências pelas quais o sinal trafega para, dessa forma, alcançar uma maior velocidade, utilizando as faixas que eram usadas apenas pelo 4G.

Com informações de Uol Tilt.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários