quarta-feira, 20 de junho de 2018

TIM lança a primeira rede comercial de IoT em 4G no Brasil

O que você achou? 
Tecnologia, chamada de NB-IoT, chega como um piloto e pretende ampliar em 40% a cobertura de 700 MHz para dispositivos inteligentes.

Três meses depois de fechar um acordo com a Ericsson e o Inatel para criar soluções relacionadas às cidades inteligentes e ao IoT, a TIM está ativando uma nova rede comercial justamente com foco em Internet das Coisas. O diferencial é que ela é ativada em 4G e em 700 MHz, fazendo da TIM a primeira operadora móvel a apostar na tecnologia.

O chamado NB-IoT (NarrowBand IoT) chega primeiramente como um piloto na cidade de Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais. Aprovada pelo 3GPP, que define os padrões de 4G, por exemplo, a tecnologia, aplicada no 4G da TIM, pode ampliar até 40% da cobertura em relação ao uso da faixa em smartphones.





As informações foram anunciadas pelo CTO da TIM, Leonardo Capdeville, que também destacou o baixo consumo de bateria em aplicações de IoT na rede de conexão que vem sendo trabalhada pela companhia. O que significa que os dispositivos inteligentes, digamos assim, poderão ter baterias com até 10 anos de duração.


LEIA TAMBÉM:

De acordo com o executivo, todas as cidades que têm 4G em 700 MHz da TIM já podem receber a plataforma NB-IoT, embora nada ainda tenha sido anunciado oficialmente. No dia 26 de junho, a operadora deve divulgar mais informações relacionadas ao uso das tecnologias IoT para cidades inteligentes, com a ideia de se diferenciar ao oferecer várias conectividades no Brasil.

Dentro de dois anos, é provável que a cobertura anunciada agora esteja presente em 4 mil cidades, que já estarão cobertas com o 4G da TIM em 700 MHz, se tudo sair conforme o planejado. Como se trata de uma atualização de software, a conectividade acontecerá de acordo com a demanda.

O lançamento será resultado dos investimentos da empresa e da adaptação da rede também para IoT, além da parceria com a Ericsson, que fornece a plataforma, e o Instituto Nacional de Telecomunicações.


Nenhum comentário:

Postar um comentário