sábado, 13 de janeiro de 2018

Vivo esclarece quais dados coleta de seus clientes e para onde vão

O que você achou? 
Em vídeo sobre novo centro de privacidade, operadora fala sobre o que pode ou não acessar e fazer em relação aos dados pessoais dos clientes.


A Vivo publicou, no início desta semana, um vídeo que explica com detalhes quais dados a operadora coleta de seus clientes e o porquê, esclarecendo também para onde eles vão.

A ideia é fazer com que o consumidor se sinta seguro no mundo digital e tenha um bom relacionamento com a operadora, que afirma prezar pela privacidade e confiança de seus clientes. Assista e acesse abaixo todas as informações relevantes destacadas pelo vídeo:







Quais dados a Vivo tem acesso?

Segundo a operadora, os dados pessoais fornecidos no contrato, como nome, endereço e telefone, podem ser acessados pela Vivo, assim como aqueles de:
  • volume de tráfego na internet (consumo da franquia);
  • histórico de uso de serviços e produtos da Vivo;
  • atendimento em lojas e call center;
  • recargas realizadas.

Quais dados a Vivo não tem acesso?


Apesar de saber quanto o cliente consome de internet, a Vivo não registra nada do que o consumidor faz em suas redes sociais ou sites que navega, seja no celular ou no computador. O mesmo vale para informações de aplicativos.

Para que coletar os dados?

A Vivo esclarece que, sempre que coleta os dados, eles são utilizados para aumentar a qualidade dos serviços, melhorar o desempenho da rede e reduzir os custos de manutenção. 

Dependendo da experiência de uso de cada um, e também analisando como um todo, as operadoras podem analisar dados para melhorar a oferta e experiência de uso dos clientes, contanto que esses dados sejam do consentimento do consumidor, que provavelmente assinou um termo no início do contrato.

Para onde vão os dados coletados? E quanto aos funcionários da Vivo?

Todos os dados coletados ficam armazenados em servidores que, segundo a Vivo, têm uma tecnologia de segurança de última geração para garantir sua total privacidade e acesso restrito. Eles são acessados em dois casos: 

  • Estudos de perfil e comportamento de clientes para a prestação correta dos serviços contratados; 
  • Mediante pedidos de ordem judicial.

Quanto aos colaboradores da Vivo, sejam atendentes de telemarketing que têm acesso aos dados digitalmente, ou os próprios funcionários de lojas físicas, a empresa informa que os obriga a assinarem um termo onde se comprometem a proteger e manter a privacidade dos dados e informações de todos os clientes. 

Há bloqueio de conteúdo?

Segundo a Vivo, nenhum conteúdo que o cliente queira acessar deve ser bloqueado pela operadora.

No entanto, em caso de pais que desejam filtrar os conteúdos inadequados para os filhos, por exemplo, a empresa disponibiliza algumas ferramentas, como é o caso do “Controle de Pais”. 

E os direitos em relação às mensagens da operadora?

A última pauta do vídeo divulgado pela Vivo é o compromisso de exercer os direitos dos clientes em relação às mensagens publicitárias, através de seus canais oficiais. Ou seja, você não é obrigado a receber mensagens da operadora ofertando novos serviços, basta cancelar esse cadastro no sistema.

Na versão para desktop do “Meu Vivo”, é possível aceitar ou recusar o recebimento tanto de ofertas da Vivo quanto de parceiros, uma forma de permissão de contato que pode ser modificada pelo próprio cliente. Por SMS, é só enviar uma mensagem com a palavra “SAIR” para o número 457.

Para mais informações especializadas sobre segurança e privacidade, a Vivo pede que o cliente acesse o portal www.dialogando.com.br.

LEIA TAMBÉM: 


3 comentários:

  1. A OI é uma morta! A décadas que morreu.

    ResponderExcluir
  2. A OI está morta a décadas. ( Deixe vÊ se vão excluir novamente meu comentário.

    ResponderExcluir