quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Oi tem assembleia de credores adiada pela quinta vez desde outubro

O que você achou? 

Para o juiz responsável, os adiamentos foram importantes para que a Oi pudesse fechar acordo com credores, que já chegou a 30 mil, 54% dos casos resolvidos.

Acredite, não é notícia repetida. A assembleia geral de credores da Oi foi, novamente, adiada pela justiça do Rio de Janeiro. Agora, ao invés de acontecer na próxima quinta-feira (7), acontecerá somente no dia 19 de dezembro, podendo se estender para o dia 20 de dezembro. 

Desde julho, quando foi determinada a convocação da reunião, que pretende resolver a situação da Oi com os mais de 55 mil credores, ela já foi adiada cinco vezes. Primeiramente, foi marcada para o início de outubro, mas ficou para o final do mês. Depois, foi adiada para 6 de novembro, 10 de novembro, 7 de dezembro e, agora, dia 19/12. Caso seja necessário, a segunda convocação acontecerá somente em 1º de fevereiro de 2018.



Mas, para o juiz que cuida do processo, apesar do adiamento ser uma medida negativa, ele permitiu o avanço de inúmeras negociações da Oi através do acordo com pequenos credores, aquele que garante pagamento antecipado para empresas que têm dívidas de até R$ 50 mil para receber da Oi, ou seja, 85% delas. “Foi possível a realização de mais de 30 mil acordos com os credores (...) Considerando que a lista tem 55.093 credores, a realização de 30.042 acordos é altamente positiva e significativa”.

Para ele, como a Oi tem credores espalhados por todo o Brasil, o acordo foi uma maneira prática de facilitar a resolução das dívidas, já que muitos teriam dificuldades em participar da assembleia no Rio de Janeiro. “Entendo que o programa está sendo bem-sucedido e está trazendo benefícios aos envolvidos, considerando que 54% dos credores já mediaram e receberam parte significativa do seu crédito”. A segunda fase do programa seria encerrada nesta quinta-feira (30).

OUTROS ASSUNTOS

Nesta quarta-feira (29), a Oi enviou um fato relevante contendo essa e outras informações recebidas do juízo no qual tramita a recuperação judicial da empresa. O juiz reforçou, por exemplo, a proibição da assinatura do PSA (Plan Support Agreement) negociado pelos acionistas minoritários, mas afirmando que esta é uma decisão da Anatel.

Também manteve a decisão cautelar que determinou que os novos diretores Helio Costa e João Vicente Ribeiro não interfiram em nenhuma questão relacionada ao processo de recuperação judicial.

E, por fim, que o atual presidente da Oi, Eurico Teles, que assumiu após a renúncia de Marco Schroeder, passe a ser responsável pela condução e conclusão das negociações com os credores até o dia 12 de dezembro, quando deverá apresentar o plano de recuperação que será utilizado na assembleia geral de credores.

LEIA TAMBÉM:


Um comentário: