terça-feira, 26 de setembro de 2017

Quem ganha com a +Smartimão: usuários, Vivo ou Corinthians?

O que você achou? 
Operadora móvel virtual do Corinthians foi lançada em junho, mas chegou sem diferencial em valores para atrair novos clientes da Vivo.

Em junho de 2017, o time de futebol paulista Corinthians lançou sua própria operadora de celular, a +Smartimão. Como todas as operadoras móveis virtuais, para funcionar, ela precisa utilizar a rede de alguma prestadora maior, que, neste caso, é a Vivo. Mas, afinal, quem ganha com a compra desse chip: os usuários, a Vivo ou o Corinthians? Como cada um se beneficia?

De acordo com o presidente da Movttel, Olinto Santana, em matéria divulgada pelo UOL Tecnologia, as grandes operadoras utilizam de operadoras móveis virtuais para captarem novos assinantes em um mercado de telefonia celular que já é saturado. Ou seja, a partir de nichos específicos, como é o caso da comunidade corintiana, a Vivo, por exemplo, consegue atrair clientes que talvez não conseguisse sem uma caracterização. 

Para os usuários, os planos oferecidos acabam sendo semelhantes aos pré-pagos da Vivo, se compararmos preço e pacotes. Os planos vão de 300MB de internet e ligações ilimitadas para Vivo por R$ 7,99 por semana e chegam a 5GB de internet + 420 minutos para celulares de outras operadoras por R$ 190,99 mensais. 

O diferencial acaba sendo mesmo os conteúdos e prêmios exclusivos que o usuário pode receber ao adquirir um chip da +Smartimão, por meio de um aplicativo ou por SMS, e a contribuição que acaba fazendo ao clube. O valor não é divulgado, mas a operadora afirma que, a cada recarga efetuada, uma porcentagem é destinada ao Corinthians.

Do lado do Corinthians, portanto, há o lucro por usuário, mas também o registro de dados de seus torcedores. Afinal, raramente um torcedor de outro time comprará um chip do +Smartimão, até mesmo pela falta de vantagens em comparação à Vivo. Com uma base de dados, o time alvinegro é capaz de conhecer ainda mais seu público e buscar parcerias e patrocínios.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário