quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Oi lança centro de inovação e aposta em projetos com startups

O que você achou? 
Através do “Oito”, 6 startups terão aporte de até R$ 150 mil da Oi. Segundo a operadora, processo de recuperação judicial não interfere em seus projetos.

A Oi lançou, nesta quinta-feira (24), um centro de empreendedorismo e inovação no Rio de Janeiro, no bairro de Ipanema, que vai funcionar 24 horas por dia e beneficiar startups novas e maduras, inclusive com aporte da Oi e auxílio em todos os setores por um ano. Chamado de “Oito”, o projeto quer apostar nos interessados em testar novos serviços, trocar experiências e aproveitar o ambiente e perfil da operadora (junto com seus problemas e pontos de melhoria) para pensar em novas oportunidades e soluções diferenciadas no mercado de telecomunicações.

O Oito já chega com uma proposta de programa de incubação: seis startups, que serão selecionadas após um processo de desenvolvimento de projetos, com infraestrutura completa à disposição, terão o aporte de até R$ 150 mil, em troca de uma participação de 10% da Oi em cada uma delas. Antes dessa seleção final, 18 startups serão escolhidas para uma primeira fase, que terá duração de um mês. Dessas sairão as seis que continuam no projeto por mais um ano, recebendo esse suporte maior a partir de 2018.

Durante o programa, todas as startups participantes devem ter apoio total de gestores da Oi, além de outras áreas, como técnica, jurídica, marketing e comercial, fora o espaço físico no Oito, que tem sede no prédio do “Oi Futuro”. Além de tornar-se acionária das startups, a Oi também poderá lançar serviços desenvolvidos por elas – tudo, é claro, depende de como será o desempenho de cada uma, sem muitas previsões por enquanto.

De acordo com o site www.oito.net.br, onde os interessados poderão se inscrever para o projeto de incubação até 15 de outubro, as áreas de interesse da Oi para o Oito são: soluções para cidades inteligentes, ou seja, que busquem melhorar o dia a dia em grandes centros urbanos; serviços de educação, saúde, publicidade, ferramentas que explorem a produtividade, além, é claro, de internet das coisas.

E o processo de recuperação judicial?

Antes mesmo de ser questionada sobre seu processo de recuperação judicial e se a Oi tem como garantir o projeto perante a tantas mudanças que podem ocorrer em breve, a operadora afirma que nada disso vai interferir em sua operação. “A Oi continua trabalhando para conquistar novos clientes, mantendo suas vendas de serviços e produtos em todos os seus canais de distribuição e atendimento”, afirma a empresa, que completa dizendo que o Oito faz parte de uma estratégia de digitalização e sustentabilidade da própria Oi.

Para startups maduras

Fora as startups que terão programa de incubação financiado pela Oi, o Oito também promete beneficiar aquelas residentes selecionadas, que vão poder alugar o espaço de coworking por preços menores (ainda não divulgados), participar de eventos e compartilhar ideias com outros novos empreendedores. As inscrições também já estão abertas.

E quanto ao nome do projeto que, de primeiro momento, soa estranho, a operadora explica que “Oito” remete à unidade de medida usada em TI (sempre múltiplos de 8) ao símbolo do infinito (que seria um oito deitado), além da cidade, que fica na altura do Posto 8, na praia de Ipanema.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário