segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Nova pesquisa deve avançar análise sobre uso de 5G no Brasil

O que você achou? 
Sindisat e Inatel farão uma pesquisa sobre o uso de satélite como infraestrutura para a próxima geração de internet.

A última sexta-feira (11) registrou mais um avanço para a chegada da internet de quinta geração no Brasil. Foi quando o Sindicato Nacional de Empresas de Telecomunicações por Satélite (Sindisat) e o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) assinaram um contrato de dois anos para fazerem pesquisas sobre o uso de satélites nas infraestruturas do 5G.

Ao investir em uma bolsa de estudos de Mestrado em Telecomunicações, o Sindicato vai contribuir para o desenvolvimento da pesquisa, que analisará os sistemas de transmissão para a rede. Durante a Comissão de Pesquisa e Casos de Usos do Projeto 5G Brasil, que reunirá vários especialistas e empresas de telecomunicações, além do governo, serão expostos os resultados da pesquisa.

Para o presidente do Sindisat, Luiz Prates, será provável que, para o Brasil tornar-se, um dia, 100% coberto por 5G, tenha que usar os sistemas via satélite e acompanhar as inovações tecnológicas pensando em todos os usuários, inclusive aqueles que estão em áreas remotas. O vice-diretor do Inatel, Carlos Marins, concorda e complementa enfatizando sua pesquisa, que trará resultados relevantes para o avanço da tecnologia 5G no país e no mundo.

LEIA TAMBÉM:


2 comentários:

  1. enquanto isso ,na minha cidade não ha cobertura da TIM. Lamentável.....

    ResponderExcluir