quarta-feira, 12 de julho de 2017

Protesto para proteger direitos na internet acontece hoje nos EUA

O que você achou? 
Google, Facebook, Netflix, Amazon, centenas de empresas e até mesmo brasileiros apoiam a ação, que busca a neutralidade da rede.


Recentemente, o Minha Operadora divulgou e explicou uma grande ação envolvendo os direitos na internet que aconteceria nos Estados Unidos. Pois bem, o “Internet-Wide Day Of Action”, um protesto para salvar a neutralidade da rede, acontece nesta quarta-feira (12) e envolve centenas de empresas conhecidas inclusive por nós, brasileiros.

Além de Amazon, Netflix, Twitter, Mozilla e muitas outras empresas, ontem duas gigantes da internet anunciaram que apoiariam a ação: Google e Facebook. Hoje, a hashtag #NetNeutrality já atingiu mais de 25,5 mil Tweets, e mesmo os brasileiros decidiram entrar na luta pela internet e twittar sobre o assunto, como você pode ver no final da matéria.

Quer um resumo do que se trata o assunto e o que será feito hoje no país americano? Nós explicamos!

O que está acontecendo?

Há, nos Estados Unidos, uma medida que defende a neutralidade de rede, a liberdade de expressão e inovação de usuários, assim como a proteção contra o controle de operadoras sobre as regras e velocidades na internet, ou seja, sem a definição de que empresa pode controlar o quê.

Acontece que, nomeado por Donald Trump, o atual presidente da Federal Communications Commision (FCC) – empresa que regula o setor de telecomunicações nos EUA –, Ajt Pai, decidiu criar um plano para destruir os fundamentos legais dessa neutralidade, para que todo conteúdo na rede seja tratado de maneira igual. O medo dos usuários é que empresas de telecomunicações como Verizon, AT&T e Comcast passem a controlar tudo o que eles estão vendo e fazendo on-line, assim como acelerar, bloquear e censurar os conteúdos e a velocidade da rede, cobrando taxas adicionais para acesso a determinados sites.

Para evitar que isso aconteça, um grupo que defende os direitos de acesso à internet, Fight For The Future, decidiu organizar uma ação gigantesca na internet para que essa medida não seja aprovada. Organizadores de outros grandes protestos on-line americanos, como o chamado “SOPA” e “PIPA” (que iriam possibilitar ao governo o desligamento de vários sites), também reúnem forças para participar do “Dia de Ação”.

O que será feito?

Além da divulgação massiva que vem sendo feita nos últimos meses, nesta quarta-feira (12), há três ações planejadas para que qualquer cidadão americano possa apoiar a causa e garantir a neutralidade da rede.

1º: Que o usuário escreva para a FCC (agência como a Anatel no Brasil) e para o Congresso. A ideia é reunir milhares de mensagens que mostrem a eles que a luta pela internet tem poder real e deveria ser levada em consideração.

2º: Que o usuário altere sua foto nas redes sociais com um dos banners, mensagens ou GIFs disponíveis. Assim, outros usuários do Facebook e Twitter, que ainda não sabem o que está acontecendo, passariam a entender a proposta e decidir se também gostariam de apoiar o protesto contra ela.

3º: Que a maior quantidade de usuários participe, também, de um protesto presencial que acontecerá à noite, chamando a atenção do Congresso e, assim, incentivando que ele negue o plano da FCC.

Apesar da proposta já ter sido anunciada em maio de 2017, a abertura para comentários públicos vai até 17 de julho. O que explica a ação envolvendo milhões de portais e usuários neste mês, pois o prazo final para considerações acontece daqui a cinco dias, na próxima segunda-feira, quando o Congresso poderá tomar uma decisão sobre o assunto.

Veja alguns tweets de empresas e até brasileiros comentando sobre o assunto:







LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário