domingo, 2 de julho de 2017

Conselheiro da Oi negocia aporte com grupo chinês

O que você achou? 
Hélio Costa, um dos conselheiros da operadora e ex-ministro das telecomunicações, viajou à Xangai para negociar aporte com grupo chinês, segundo jornais.


Informações da coluna Radar, da revista Veja, indicam que Hélio Costa, ex-ministro das telecomunicações e um dos conselheiros da Oi, viajou à Xangai para negociar um novo aporte para a companhia com um grupo de investidores chineses, que seria realizado após a aprovação do plano de recuperação da empresa.

Em 20 de junho de 2016, a Oi entrou com pedido de recuperação judicial, o maior vivido por uma empresa no país, e após pouco mais de um ano, o processo segue sem acordo entre a operadora e seus 55 mil credores.

Essa não é a primeira que vez que a Oi recorre a investidores chineses. A empresa recebeu um aporte no fim de 2015 no valor de R$ 1,2 bilhão feito a longo prazo pelo Banco de Desenvolvimento da China (CDB, sigla em inglês). Na época, a operação já era considerada de grande risco, visto que a companhia já tinha uma dívida de R$ 50 bilhões e um de seus sócios mais importantes, o executivo André Esteves, do BTG Pactual, era citado na Lava Jato.

Pouco mais de seis meses depois a empresa deu entrada no pedido de recuperação judicial, após acumular uma dívida de 65 bilhões de reais.

Na semana passada, a Oi anunciou que começaria um programa de acordo para viabilizar o pagamento de pequenos credores, com até R$ 50 mil a receber. Rapidamente, o próprio CDB conseguiu uma liminar na justiça que suspendia o programa.

A Oi também recebeu duas multas que somam R$ 71 milhões, uma de R$ 50 milhões da Anatel, na semana passada, por cobrança de serviços de terceiros sem autorização de seus assinantes; e outra de R$ 21 milhões, por alteração de seus associados sem aprovação prévia da agência.

A previsão é que a empresa realize uma assembleia geral com seus credores até o fim de setembro e consiga definir as diretrizes do plano de recuperação judicial.

LEIA TAMBÉM:


Um comentário: