terça-feira, 20 de junho de 2017

Teles investem em projetos para sanar problemas de conectividade

O que você achou? 
Parcerias entre operadoras de telefonia fixa e instituições de educação geram iniciativas que visam acabar com os problemas de conectividade no Brasil.

O foco dos laboratórios criados através de parcerias entre operadoras de telefonia fixa e instituições de educação brasileiras, visam o desenvolvimento de cidades inteligentes e, enfim, a resolução dos problemas de conectividade no Brasil, levando a inclusão digital a mais brasileiros.

A operadora Algar Telecom em parceria com a Nokia Networks e com o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar) criaram um laboratório na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. A Nokia também fez uma parceria com a Oi com um laboratório no Rio de Janeiro, onde as empresas investiram cerca de 1 milhão de euros, de acordo com informações.

A maior preocupação desses laboratórios é desenvolver pesquisas e formas para acabar com os problemas de conectividade no Brasil, desenvolvendo dentro do ambiente de internet das coisas (IoT) diversos dispositivos digitais que ajudem na inclusão digital no país.

Outro projeto financiado por empresas nacionais da área de telecom, o Laboratório de Estudos Avançados em Redes Móveis de Telecomunicações, que funciona nas instalações da PUC-PR, em Curitiba, vem trabalhando para o desenvolvimento das tecnologias 4G e 5G, gerando inovações nas redes móveis brasileiras. O projeto em parceria com a Oi visa preparar uma base para que as redes de comunicação sejam usadas pela IoT.

A Algar Telecom articula um novo sistema de inovação e empreendedorismo e já construiu vários protótipos em parceria com empresas como a Nokia, a Logicalis, a Global Bridge e o Cesar. A intenção é conectar os usuários as soluções digitais e resolvendo os problemas de conexão nas cidades brasileiras.

Os projetos existentes visam a criação, por exemplo, de postes inteligentes com cabeamento de fibra óptica e câmeras digitais, sensores e rede Wi-Fi e aparelho para análises de problemas no setor de transportes e segurança pública.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário