terça-feira, 13 de junho de 2017

Lei que proíbe franquia na banda larga fixa: aprova ou não aprova?

O que você achou? 
Entidades da Coalizão Direitos na Rede vão enviar carta para evitar
(de vez) a cobrança de franquia de dados.


O Projeto de Lei que proibiria as operadoras de estabelecerem franquias de dados na banda larga fixa foi aprovado, pelo Senado, em março deste ano. Porém, se a lei efetivamente dará um fim nessa história, aí é outra conversa. Hoje, no entanto, mais um passo será tomado em direção à aprovação.

A "Coalizão Direitos na Rede" deve enviar, nesta terça-feira (13), uma carta para a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, pedindo a aprovação final do PL 7.182/2017.

Por reunir 34 organizações distintas da sociedade civil e representar a opinião de pesquisadores, ativistas e das próprias entidades, a organização afirma que o PL é importante, pois reafirma o caráter essencial do serviço de conexão à internet estabelecido pelo Marco Civil da Internet. Ou seja, destacam o direito à conexão de internet fixa livre da limitação do volume de tráfego de dados em franquias mensais, conforme previsto no art. 7º.

Esta não é a primeira vez que organizações pressionam a proibição desse tipo de cobrança. Afinal, apesar das operadoras não estarem limitando o acesso neste momento, muitos políticos também já mostraram que são a favor das franquias na banda larga fixa.

O deputado Celso Russomanno, no mês passado, chegou a afirmar que o projeto engessa o setor de telecomunicações, e acabou propondo um novo acordo – só que, este, para que o plano limitado passe a existir. Ele afirma que se as empresas oferecessem um serviço de qualidade, os planos seriam vantajosos inclusive para os consumidores.

Mas as entidades da Coalizão discordam. Para elas, o uso de franquia na internet fixa passa a ter até mesmo impacto social, impedindo o acesso à internet em populações de baixa renda. A população, nesse caso, seria obrigada a se submeter aos planos das operadoras, mas por falta de opção, e a limitação iria muito além da internet – envolveria a comunicação, a troca de conhecimento e a exploração de novas relações comerciais na rede.

Ao invés das franquias, a Coalizão sugere o investimento na infraestrutura de redes do país que, segundo eles, ainda têm muito o que melhorar.

LEIA TAMBÉM:


Um comentário:

  1. Tá certo, as operadoras querem é lucrar excessivamente sugando nosso dinheiro até a última gota, elas alegam que não conseguem suprir a demanda, mas se tiver franquia nos planos e eu ir comprando pacotes adicionais aí tem internet neh, diga NÃO a internet com franquia.

    ResponderExcluir