sexta-feira, 9 de junho de 2017

Como meus dados foram parar no Telefone.Ninja?

O que você achou? 
Descubra as táticas que o site utilizou para ter acesso aos seus dados.


O tão falado site Telefone.Ninja já foi bastante comentado por aqui. Ontem também repercutimos o que o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) pensa a respeito do site e as medidas que devem ser tomadas. Mas uma pergunta ainda paira no ar: como conseguiram os dados de tantas pessoas para divulgar no site?

O próprio "telefone.ninja" informa que os dados exibidos foram coletados por meio das operadoras de telefonia, além de oferecer um link para pesquisa de clientes em páginas específicas da Claro, Oi, TIM e Vivo. No entanto, é uma informação muito vaga e que levanta suspeitas se esses dados foram conseguidos de maneira ilícita.

O SindiTeleBrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal), representante das operadoras telefônicas em território nacional, informou que nenhuma das teles possui uma lista pública com os dados de seus clientes, logo, a informação passada pelo Telefone.Ninja se mostra mentirosa.

A advogada Gisele Truzzi, especialista em direito digital, sugeriu que existem outras fontes que realmente são públicas para capturar esses dados pessoais. Muitos sites pedem informações como as fornecidas no Telefone.Ninja, como sites de petições online e de abaixo assinados, além de cadastro para alguns fóruns de internet.

Levando isso em conta, os dados teriam sido conquistados de maneira “legal”, mas com um trabalho mais de “mineração”, procurando manualmente as informações fornecidas por indivíduos em sites desse tipo. Ainda assim, a ideia da criação de um algoritmo que busca automaticamente dados por cidades, estados, entre outros, pode ser a resposta para essa pergunta.

O site é legal?

De acordo com a advogada, mesmo que eles tenham criado um método lícito para fazer a busca dos dados e conseguir compilar em arquivos separados por regiões, sendo conquistado de forma aberta, essas informações não poderiam ser concentradas em um site com o fim de expor a privacidade das pessoas.

Resumindo: o site não informou exatamente como conseguiu os dados, mas mesmo que fique provado que foi de maneira legal, sem hackear informações de sites de operadoras, a divulgação concentrada em um só site é ilegal e o site pode ser retirado do ar. 

O problema é que o servidor do telefone.ninja não está hospedado no Brasil, o que dificulta bastante o controle dele pelas autoridades brasileiras.

LEIA TAMBÉM:


Um comentário: