terça-feira, 2 de maio de 2017

Cabos submarinos irão agilizar serviços on-line entre Brasil e Espanha até 2019

O que você achou? 
Cabo de fibra óptica conectará Madri e São Paulo, desviando as comunicações para fora da América do Norte.


Preocupados com a segurança e privacidade de seus dados, os governos do Brasil e da Espanha se juntaram para ligar os dois países pelo cabo submarino EllaLink no Oceano Atlântico. A iniciativa deve oferecer serviços on-line e em nuvem rápidos para cidadãos de ambos os países até 2019. A notícia foi divulgada essa semana pela Reuters.

O cabo de fibra óptica conectará data centers em Madri e São Paulo. A ligação também ocorrerá entre Lisboa, os arquipélagos da Madeira, as Ilhas Canárias da Espanha e Cabo Verde da África ao longo da rota. A única ligação direta entre a Europa e a América do Sul é um cabo de cobre de 20 Gb colocado em 1999 por um consórcio de operadoras de telefonia.

A parceria reforça os esforços dos governos para desviar as comunicações para fora da América do Norte, após a ex-presidente Dilma Rousseff e outras autoridades terem sido alvos de espionagem de agências de inteligência dos Estados Unidos em 2013.

Com 9.200 km de extensão, o cabo submarino tem capacidade de 72-terabytes por segundo. A velocidade representa sete vezes o tamanho da capacidade de comunicação existente entre a América Latina e o resto do mundo.

A primeira linha de rede submarina nasceu em 1854 e ligava a ilha de Terra Nova, no Canadá, à Irlanda. Esse tipo de fiação pode alcançar até 25 anos. Sob nossos mares existem cerca de 360 fios de redes subaquáticas que conectam os países e continentes do mundo todo, segundo a base de dados online de cabos submarinos TeleGeography. Apenas a Antártida não está conectada por cabos submarinos.

Redator em treinamento. Que nota este artigo merece?

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário