sexta-feira, 11 de novembro de 2016

TV fechada tem crescimento equilibrado em setembro; Oi lidera ganhos

O que você achou? 
Recepção por satélite é a forma mais comum utilizada pelos brasileiros, com quase 11 milhões de usuários. Tenha acesso aos números completos do setor.


Durante os 30 dias do mês de setembro deste ano, o serviço de televisão por assinatura apresentou 23.878 novas instalações líquidas. Este número positivo ficou bem distribuído entre as principais empresas atuantes no setor, com exceção da Vivo TV, que obteve um desempenho muito abaixo da média ao aumentar a sua base de clientes em somente 427 acessos.

A Oi TV, com 16.608 novos assinantes, continua superando gigantes como Claro TV/NET (15.680) e SKY (13.926).


Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a tecnologia de transmissão de sinal via satélite (DTH) é a mais utilizada pelos brasileiros para assistir canais pagos, são 10,89 milhões de antenas apontadas para o céu que estão ativas.

A recepção de TV a cabo (TVC) é a segunda mais utilizada (7,84 milhões), seguida pela TV por fibra (FTTH), com 212 mil clientes e através de microondas (MMDS), que fechou o mês com 7 mil usuários no país.

No Brasil, 27% das residências possuem assinatura de televisão por assinatura legalmente, de acordo com métricas de densidade populacional divulgadas pelo IBGE. Veja abaixo um ranking com a penetração da TV paga em cada estado brasileiro:

1) Distrito Federal - 53,1%
2) São Paulo - 48,8%
3) Rio de Janeiro - 41,8%
4) Rio Grande do Sul - 31,3%
5) Amazonas - 29,4%
6) Santa Catarina - 28%
7) Paraná - 23,6%
8) Minas Gerais - 22,7%
9) Mato Grosso do Sul - 22,1%
10) Rio Grande do Norte - 20,8%
11) Mato Grosso - 20,4%
12) Espírito Santo - 19,7%
13) Goiás - 17,8%
14) Ceará - 14,3%
15) Acre - 14,2%
16) Pará - 13,3%
17) Sergipe - 13,1%
18) Bahia - 12%
19) Pernambuco - 12%
20) Paraíba - 11,7%
21) Roraima - 11,7%
22) Amapá - 11,4%
23) Alagoas - 11,1%
24) Rondônia - 10,6%
25) Maranhão - 8,7%
26) Tocantins - 8,4%
27) Piauí - 8,3%

Leia também:


Nenhum comentário:

Postar um comentário