quinta-feira, 10 de novembro de 2016

TIM Live perde clientes pela primeira vez em quase dois anos

O que você achou? 
E ainda: Distrito Federal é o local com mais casas conectadas, seguido por São Paulo e Rio de Janeiro. Veja a lista completa.


Depois de só crescer, TIM Live - serviço de banda larga fixa da TIM - estagnou e perdeu assinantes, informou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em relatório consolidado do setor de internet fixa brasileiro referente ao mês de setembro. É a primeira vez desde janeiro de 2015 que a empresa sofre queda no seu número de acessos.

A TIM foi a única a registrar desativação de assinaturas maior do que o número de novas adesões (-2.434). Todas as demais operadoras aumentaram suas bases, com destaque para o serviço NET Vírtua/Embratel, que liderou o crescimento da banda larga com 30.565 novas vendas.

Vivo Fibra aparece na segunda colocação depois de ter conectado 7.489 novas portas de acesso à rede. Ela é seguida por Oi Velox, com 3.691 novos usuários; Algar Telecom e seus 1.313 recém clientes; e SKY Banda Larga, com 795 instalações líquidas.


Os provedores regionais, que costumam prestar internet cabeada ou via rádio de forma legalizada em comunidades onde as empresas maiores ainda não possuem cobertura, sentiram uma queda considerável, 24.972 pessoas deixaram de utilizar os serviços prestados por eles.

No total, o Brasil possui 26,52 milhões pontos de internet fixa instalados, o que representa presença em 38,6% dos lares do país. Em setembro foram computados 13.376 novos acessos.

O Distrito Federal é o lugar onde existe a maior penetração do serviço, visto que, de acordo com métricas de densidade populacional fornecidas pelo IBGE, 68,5% das casas possuem banda larga fixa. São Paulo fica em segundo lugar, com 64,2%. Ele é seguido por:

3º) Rio de Janeiro - 48,6%
4º) Paraná - 47,6%
5º) Santa Catarina - 47,4%
6º) Rio Grande do Sul - 40,2%
7º) Mato Grosso do Sul - 39,2%
8º) Minas Gerais - 36,6%
9º) Goiás - 36,1%
10º) Espírito Santo - 35,1%
11º) Mato Grosso - 32,2%
12º) Amapá - 26,1%
13º) Rio Grande do Norte - 24,9%
14º) Amazonas - 24,4%
15º) Roraima - 23,2%
16º) Acre - 23%
17º) Rondônia - 22,8%
18º) Sergipe - 22,1%
19º) Ceará - 21,2%
20º) Tocantins - 20,8%
21º) Paraíba - 20,7%
22º) Pernambuco - 16,8%
23º) Bahia - 15,8%
24º) Piauí - 15,7%
25º) Alagoas - 14,6%
26º) Pará - 12,9%

Leia também:


3 comentários: