quinta-feira, 6 de outubro de 2016

'Watchmusic' é o novo aplicativo de música da Vivo

O que você achou? 
Aplicativo Watchmusic aposta numa experiência diferente para envolver o usuário com música: conteúdo em vídeo.


Está disponível a partir desta quinta-feira (6), nas lojas de aplicativos Google Play e App Store, o mais novo aplicativo da Vivo: Watchmusic. Ele é mais focado em vídeos musicais, apostando no envolvimento do usuário com os seus artistas preferidos através de clipes, shows, playlists e entrevistas exclusivas. Caso não possa assistir o conteúdo no momento, o aplicativo se transforma num streaming de música (tal como Spotify), através da função "Só Áudio", em que o usuário pode até mesmo desativar a tela, que o show continua rolando.

Já pensou assistir a um show ao vivo direto do seu celular, tablet, smart TV, notebook, onde você estiver? No Watchmusic isso é possível. E já tem show ao vivo agendado: Paula Fernandes no dia 20 de outubro.

Você deve estar pensando, "usar esse aplicativo numa rede de dados deve esgotar a franquia rapidinho". De fato, sabemos que conteúdo em vídeo são o grande terror do consumo de internet móvel, e até o momento a Vivo não anunciou isenção de tráfego para o app. Porém, ele possui todas as configurações necessárias para reduzir o consumo de dados, diminuindo a qualidade do vídeo ou áudio. Também existe a função off-line, onde é possível baixar o conteúdo que você quer ouvir quando estiver numa rede WiFi, para ouvir sem gastar os seus dados móveis, ou mesmo quando estiver sem sinal de internet.



O Watchmusic, "assistir música" em inglês, é uma plataforma desenvolvida pelo grupo de mídia Vivendi (ex-dona da Vivo), e chegou primeiro ao Brasil. Por aqui, clientes Vivo podem assinar o serviço pagando R$ 12,90 por mês ou R$ 3,99 por semana. O primeiro mês ou semana, dependendo da modalidade escolhida, é gratuito para que o cliente possa experimentar tudo o que o serviço pode oferecer.

Apesar da estreia do Watchmusic, a Vivo permanece com o aplicativo Vivo Música by Napster, apresentado em 2013, em plena operação.

Leia também:



Um comentário: