sábado, 19 de dezembro de 2015

Durante queda do WhatsApp, operadora distribuiu SMS de graça

O que você achou? 
Oi 'gritou' para quem quisesse ouvir que ela foi a única a favor do desbloqueio do serviço. Veja como as empresas se comportaram.



Uma boa empresa tem que saber aproveitar todas as ocasiões para fazer uma boa propaganda do seu serviço e mostrar que se preocupa com seus consumidores. As empresas de telefonia também sabem disso e aproveitaram o bloqueio do WhatsApp para 'ficar do lado dos seus clientes'.

A operadora Algar Telecom, assim que soube que seria obrigada a interromper a conexão com os servidores do WhatsApp, anunciou a liberação de um pacote com 1.000 mensagens de texto SMS para qualquer operadora nacional, com validade de 48 horas - prazo inicialmente previsto para durar a suspensão do app de mensagens.

Por meio de um tweet na rede social Twitter, a Algar Telecom anunciou a novidade e recebeu elogios. Logo depois da volta do WhatsApp (cerca de 12 horas depois do bloqueio), no entanto, o pacote de torpedos promocional foi suspenso pela operadora.


Outra que utilizou às redes sociais e até a imprensa para se promover foi a Oi. É verdade que a decisão judicial que ordenou a interrupção do funcionamento do WhatsApp no Brasil foi de última hora, pegando a todos e inclusive as operadoras de surpresa. A Oi logo tratou então de entrar com recurso na Justiça para reverter o bloqueio, e enviou nota para a imprensa informando da sua decisão. A atitude da operadora, tida como corajosa, foi logo amplamente divulgada por dezenas de veículos de comunicação com abrangência nacional, incluindo os telejornais Hoje, Globo e Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Não satisfeita, a Oi ainda quis aparecer mais, e lançou na rede a hashtag #aconexaonaopodeparar. Em um dos seus posts utilizando a hashtag, a operadora divulgou uma matéria do jornal Folha de S.Paulo mostrando que ela tinha sido a única empresa de telefonia contra o bloqueio do WhatsApp. As demais empresas preferiram não se envolver no processo, deixando que o próprio Facebook (controlador do WhatsApp) e seu dono bilionário se defendesse e resolvesse a questão.

Mas quem somos nós para condenar a atitude da Oi? Pelo contrário! Choveram elogios no Twitter da companhia. Seu post de divulgação da ação foi replicado por quase 300 usuários e curtido por quase 800 deles.


A TIM foi outra que não quis de jeito nenhum causar revolta dos viciados em internet contra ela. Depois do anúncio da decisão pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, grande parte da população, sem entender o motivo, colocaram logo a culpa nas empresas de telefonia. É próprio do ser humano julgar algo ou alguém sem nem ter conhecimento da veracidade dos fatos. Mesmo sendo algo que já fosse esperado, a TIM defendeu a classe: "as operadoras não são autoras da ação que resultou na ordem judicial para bloqueio do WhatsApp".

Reação das Operadoras

Para Eduardo Levy, da associação que representa as operadoras (SindiTeleBrasil), como a "decisão pegou a todos de surpresa", as empresas não tiveram tempo hábil nem pra comunicar aos clientes do bloqueio do app, fazendo com que muitos achassem que seria uma falha na rede da operadora.

Mas foi interessante ver o poder que as teles tem em suas mãos. A qualquer momento elas podem bloquear o que quiserem, e pra qualquer um. Teve gente em outros países da América do Sul, como Chile, Argentina e Uruguai, que também sentiram os efeitos da interrupção do app no Brasil.

Veja o que as operadoras diziam sempre quando o consumidor ligava para as suas centrais de atendimento:


Leia também:


Nenhum comentário:

Postar um comentário