quinta-feira, 29 de outubro de 2015

TIM testa evolução da tecnologia 4G em feira de telecom

O que você achou? 
Operadora ainda desbancou a Vivo e atingiu a maior quantidade de cidades com torres compatíveis com a internet 4G.


A TIM promoveu, nesta terça-feira (27), a primeira demonstração tecnológica de uma solução de LTE Advanced com Three Carrier Aggregation (3xCA) combinando três frequências distintas para oferecer uma nova experiência de Ultra Mobile Broadband (Banda Larga Ultra Mobile). Trabalhando em estreita colaboração com a empresa de tecnologia Ericsson e a Qualcomm Technologies, Inc., uma subsidiária da Qualcomm Incorporated, a demonstração ocorreu durante a Futurecom 2015, que acontece até esta quinta-feira, 29 de outubro, em São Paulo.

O teste inédito, realizado no estande da operadora, reuniu o uso de todas as frequências 4G/LTE habilitadas no Brasil – 2600 MHz, 1800 MHz e 700 MHz – para oferecer uma melhor experiência no uso de dados. As três frequências agregadas permitiram velocidades de download de dados de até 260 Mbps. A velocidade média estabilizou-se em 220 Mbps durante o teste.

As empresas promoveram testes suportados por computadores conectados em dispositivos com e sem o recurso avançado Carrier Aggregation. Os participantes do evento puderam comparar os resultados da simulação realizada com as tecnologias atuais e futuras.

“A eficiência espectral é um dos grandes desafios ao longo dos próximos anos para garantir o atendimento da crescente demanda de dados e o LTE Advanced 3xCA é uma das novas tecnologias adotadas pela TIM para aumentar essa eficiência. Vamos usar o máximo de recursos disponíveis para os pacotes de dados fluírem com maior velocidade”, explica Leonardo Capdeville, CTO (Chief Technology Officer) da TIM Brasil. “Com essa iniciativa pioneira, a operadora comprova, mais uma vez, sua capacidade de estar na vanguarda da inovação tecnológica.”

Colaborações

Para a realização do teste foi necessária uma licença especial da Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel) em função do uso da faixa de 700 MHz. A TIM conduz os testes com o suporte da Qualcomm Technologies – usando o processador Qualcomm® Snapdragon 810 com X10 LTE – e da Ericsson, sua provedora de infraestrutura 4G na região metropolitana de São Paulo.

"Este é um passo importante na evolução da tecnologia LTE no Brasil, uma vez que irá permitir muito mais capacidade e melhor desempenho para redes sem fio. Estamos muito felizes em apoiar a iniciativa pioneira da TIM na América Latina", diz Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina.

Inicialmente, os planos da TIM são implementar o Carrier Aggregation nas frequências 2600 MHz e 1800 MHz nas principais regiões do país até 2016. À medida que a faixa de 700 MHz se tornar disponível para aplicações móveis, a operadora tem planos de ativar o 3xCA. “Queremos sinalizar que já temos a tecnologia disponível para efetuar a transição quando houver a liberação da faixa de frequência de 700 MHz”, ressalta Capdeville.

De acordo com o CTO, a TIM já possui a tecnologia 4G no Brasil e faz uso de todos os recursos desse espectro. “Trata-se de um desempenho que demonstra nossa eficiência para utilizar toda a capacidade possível, caminhando para uma evolução rumo ao padrão 5G”, afirma.

"Estamos satisfeitos em fazer parte da rede da TIM com a solução LTE Advanced, que será capaz de oferecer aos seus usuários uma ampla cobertura de rede e uma melhor experiência de banda larga móvel, garantindo a contínua fidelidade de seus clientes. A Ericsson seguirá colaborando com a TIM para atender as crescentes expectativas dos usuários no Brasil", diz Carina Martins, diretora de Desenvolvimento de Soluções MBB da Ericsson no Brasil.

Cobertura e Investimento 

Quem assistiu ao novo comercial institucional da TIM que está sendo apresentado na televisão deve ter notado que existe um trecho na narração do vídeo que diz: "você escolhe estar sempre conectado, a TIM faz o 4G chegar até você. E se onde você está não tem 4G, a TIM já está trabalhando nisso". Pois bem, parece que estamos começando a entender o que a segunda maior empresa de telefonia móvel do país quis dizer com isso.

A TIM assumiu a liderança na cobertura 4G no Brasil em municípios atendidos. A operadora atingiu, em setembro de 2015, um total de 265 cidades com cobertura de internet móvel de quarta geração no país, deixando a Vivo para trás, com 161 municípios cobertos. Claro e Oi fazem o 4G chegar em 147 e 45 cidades, respectivamente. A Nextel possui cobertura apenas na cidade do Rio de Janeiro.

Ultrapassar a marca de 400  cidades cobertas com 4G até o final deste ano, chegando a uma área de cobertura equivalente a 58% da população urbana brasileira, o que representa cerca de 100 milhões de habitantes, é a meta da TIM.

Somente nos primeiros nove meses de 2015, a TIM chegou a 220 novas cidades com 4G – cerca de 10 vezes mais do que no ano anterior. Até dezembro, a estimativa da empresa é expandir esse número para 355 novas cidades cobertas. Paulista (PE), Ipatinga (MG), Colombo (PR), Criciúma (SC) e Indaiatuba (SP) são exemplos de novos municípios que agora possuem a quarta geração do sinal da TIM disponível.

Com a ativação da rede 4G da TIM em 400 cidades, a operadora ampliará a cobertura em 18 estados. São Paulo, onde a empresa está presente em mais de 110 municípios (117 previstos até o final do ano), é o Estado com o maior número de cidades cobertas.

“Vamos mais do que dobrar a população e aumentar de 24 para 400 cidades atendidas em apenas dois anos. Esse salto, conquistado em velocidade muito superior em relação à implementação do 3G, se deve à estratégia da TIM de levar a melhor experiência no uso de dados para seus clientes”, explica o já citado Leonardo Capdeville, responsável pela infraestrutura da TIM Brasil (CTO). “Para atingirmos esse patamar, utilizamos as vantagens do refarming – o reaproveitamento da faixa de 1800 MHz dedicada ao 2G para oferta do 4G – e buscamos ir além das obrigações estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) quanto ao atendimento das cidades.”

Segundo o executivo, a operadora cumprirá a meta da Anatel estipulada para 2015 e está levando sua cobertura para outros municípios não previstos pelo órgão regulador.

Recorde também no 3G

Ainda de acordo com Capdeville, a TIM continua a investir também na expansão da rede 3G e encerrará 2015 com a entrega recorde de cidades nos últimos sete anos. Em 2008, foram 29 novos municípios atendidos, contra 336 em 2014 e estimativa de 656 para este ano, que registrará, assim, o maior crescimento em número absoluto do período. Esse total corresponderá a 82% da população urbana do país.

“Continuaremos a acelerar cada vez mais o incremento da capacidade da nossa cobertura e a investir e ampliar tanto o serviço 4G como o 3G. A TIM tem procurado otimizar os investimentos utilizando sua infraestrutura existente e deve seguir essa estratégia nos próximos anos”, ressalta o CTO da TIM.

De acordo com os dados do plano industrial da companhia, a TIM é a operadora brasileira com o maior investimento em telefonia móvel: são R$ 14 bilhões no triênio 2015-2017 – 90% desse montante voltados à infraestrutura, com ênfase na expansão e qualificação das redes 4G e 3G. No fim de 2014, a companhia investiu R$ 2,85 bilhões na aquisição da licença de uso do espectro em 700 MHz. “Estamos bem posicionados na faixa de 700 MHz para crescermos na melhor banda larga móvel 4G no Brasil”, afirma Capdeville.


Com informações de Assessoria de Imprensa TIM.
Leia também:

5 comentários:

  1. A Nextel possui cobertura 4G apenas na cidade de São Paulo? Certeza! Acho que não, a Nextel possui apenas cobertura do 4G no Rio de janeiro em são paulo ainda não foi habilitada. http://www.nextel.com.br/atendimento/tecnologia-nextel/4g

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção efetuada com sucesso! Muito obrigado por estar atento ;-)

      Excluir
  2. Corrigindo, a Nextel possui cobertura 4G somente no Rio de Janeiro, onde possui licença para operar em 1800 MHz. Não é o caso de São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção efetuada com sucesso! Muito obrigado por estar atento ;-)

      Excluir
  3. O que adianta oferecer o serviço 4G de maneira que limita o uso da mesma? :(

    Antes do 4G o 3G era a sensação do momento e ainda é em alguns lugares que não possui tecnologia 4G. Porem sempre existiu uma inimiga numero 1 dos usuários, a famosa "franquia. Quem sofre mais? é claro que é o cliente pré-pago. onde tem uma miserável franquia Já em planos PÓS-PAGO os usuários são muito mais privilegiados, beneficiados, valorizados etc... contudo mesmo nesses planos a maldita franquia continua a perseguir.
    Para piorar ainda mais a situação e persuadir os usuários a migrarem para plano Pós-pago chegou : 4G a emoção acaba quando ela nem começa. do que adianta ter um 4G se não podemos ser livre? somos presos a uma franquia que limita nosso uso, que nos proibi de praticamente tudo.
    Quando Luciano Huck diz " o mesmo do celular". me pergunto será? Quando foi realizado o 1º comercial via 4G, colocaram franquia limitando o uso de dados trafegados? pode até ser que usaram mais sem duvidas oferecem uma franquia que vai muito além da miserável que oferecem aos clientes pré-pago. O 4G sem duvidas é uma oportunidade para que as operadoras ofereçam o serviço de forma livre, sem franquia. O cliente Paga por velocidade!


    A meses trabalhei em projeto enviei o projeto a Sr Rodrigo Abreu , ate agora o mesmo não se pronunciou sobre o assunto!

    ResponderExcluir