quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Vivo nunca será parceira do WhatsApp, afirma diretor da operadora

O que você achou? 
Em contraste, TIM lança nesta quinta, 06, campanha na televisão para reforçar acordo comercial com o aplicativo.

O mais novo presidente da Telefônica Vivo, Amos Genish, também diretor e fundador da GVT, disse durante o Congresso ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) 2015, que o WhatsApp é "pirataria no pior sentido". Ele estava comentando sobre os risco que as empresas de TV paga correm com o crescimento acelerado do serviço de streaming Netflix no Brasil, quando disse aos jornalistas presentes que o "WhatsApp é bem mais perigoso que o Netflix, é uma ameaça que precisamos entender melhor".

Genish não parou por aí, e atacou ainda mais o aplicativo de mensagens do Facebook: "Eles estão trabalhando contra a lei brasileira [...] É pirataria no pior sentido, é um operador na Califórnia usando nossos números e clientes e sem obrigações regulatórias, jurídicas e fiscais. Não vai acontecer nunca de fazermos parceria."

As obrigações a que Amos se refere são as que os órgãos regulatórios solicitam e cobram das operadoras telefônicas, como a taxa anual do Fistel (Fundo de Fiscalização das Telecomunicações). Estima-se que a Telefônica Brasil, dona da Vivo, pague cerca de R$ 4 bilhões todos os anos pelos números de celular que mantém ativos em sua base.

Para finalizar, o presidente da Vivo/GVT disse não se pode medir os prejuízos que os aplicativos estão trazendo as empresas de celular agora porque são ferramentas recentes, mas deu um recado a concorrência: "Espero que as outras operadoras acordem para isso."

Ele se refere obviamente as empresas TIM e Claro, respectivamente a segunda e terceira das maiores telefônicas móveis do Brasil. Ambas vem apostando massivamente num acordo que fizeram com o Facebook para oferecer os serviços do WhatsApp sem descontar da franquia de internet contratada.

Campanha na TV para o Turbo WhatsApp

A TIM, por exemplo, parece ter ignorado a recomendação do israelense Amos Genish e reforçou ainda mais a divulgação da sua parceria com o WhatsApp. A oferta Turbo WhatsApp da TIM ganhou uma campanha publicitária que passa a ser exibida a partir desta quinta-feira (06) nas principais redes de TV do Brasil.

No filme de 30 segundos, a operadora mostra um rapaz que fica correndo de estabelecimento em estabelecimento através de um ponto Wi-Fi para se comunicar através do aplicativo de comunicação. A atriz global Dani Suzuki aparece no vídeo e apresenta a solução: "Não fique preso ao WiFi. Libere seu WhatsApp com o novo Turbo WhatsApp".

Se você ainda não sabe, o Turbo WhatsApp lançado pela TIM permite aos clientes participantes receberem uma franquia de 50 MB de dados todos os dias para utilizarem os principais serviços do app WhatsApp. Além disso, uma franquia de 50 MB adicionais válida por 30 dias é liberada, para utilizar caso o consumidor precise acessar algum outro serviço da web.

Assista abaixo:


A campanha de divulgação do benefício também vai contemplar anúncios em mídia impressa, outdoors e spots de rádio.

Leia também:

6 comentários:

  1. O whatsapp acabou com a farra do lucro abusivo no SMS que todas as operadoras tinham, e agora correm o risco de perder receita com as chamadas de voz. Mas na contrapartida aumentou a necessidade de uso de pacote de dados, mas aí entra o x da questão... Transporte de voz é relativamente fácil, e normalmente circuitos de 2MB resolvem... Já 2MB para dados atualmente não resolve muita coisa, aí que entra a fúria da Vivo... Está perdendo receita em um segmento lucrativo (e extremamente regulado, vide impostos altíssimos que paga), para um segmento que exige investimentos elevados porém não tão regulados assim, ou seja, bagunçado mesmo!!! Uma coisa eu concordo com a Vivo, o governo através do Ministério das Comunicações e Anatel precisam levantar o bum bum da cadeira e dinamizar a legislação, com regulamentos que de fato tragam benefícios para a sociedade, pra que reinventar a roda? Busquem exemplos bem sucedidos nos países desenvolvidos e que hoje usam internet super rápidas como Japão, China, EUA, Canadá, etc... Copiar mesmo como eles lidam com a situação e tropicalizar, simples... Não entendo o motivo de tanta dificuldade no Brasil...

    ResponderExcluir
  2. Isso me faz lembrar quando a Vivo insistia na rede CDMA, nadando ao contrário da correnteza... kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Prezado Sr. Amos Genish

    No entanto, faz mais de dois meses que tenho solicitado para a telefonica & vivo religar meu telefone e devolver o que foi cobrado indevidamente quando meu telefone estava desligado e, nenhuma posição a respeito -principalmente sobre o que foi cobrado indevidamente- foi oficialmente passado por eles. TEMOS da ordem de uma centena de protocolos!!!

    Antonio Balloni

    ResponderExcluir
  4. Usamos o whatsapp na rede das operadoras se elas não tem livro não temos redes moveis,é um absurdo achar a as operadoras só fazem lucrar,se as operadoras fecharem não teremos redes moveis e assim não teremos whatsapp.

    ResponderExcluir
  5. Usamos o whatsapp na rede das operadoras se elas não tem lucro não temos redes moveis,é um absurdo achar a as operadoras só fazem lucrar,se as operadoras fecharem não teremos redes moveis e assim não teremos whatsapp.

    ResponderExcluir