sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Claro tem 3G e 4G mais rápidos do Brasil, segundo OpenSignal

O que você achou? 
Estudo também mediu o tempo que as redes das empresas de telefonia permaneceram disponíveis. Veja os dados detalhados.

A Claro foi apontada pela OpenSignal como a operadora com os melhores índices de velocidade de banda larga móvel 3G/4G no Brasil. O requisito "tempo sem sinal", em que é analisado o tempo médio em que a rede da empresa ficou sem serviço, também obteve um melhor desempenho da Claro, com o menor resultado.

Velocidade 4G

Em questão de velocidade 4G, a Claro, da América Móvil, ultrapassou seus concorrentes ao fornecer velocidades médias de 17,82 Mbps. No entanto, nenhuma operadora brasileira de internet de quarta geração apresentou média menor do que 10 Mbps em velocidades de download - um bom resultado.

Após a Claro, a Vivo vem em seguida com a segunda maior velocidade: 16,18 Mbps. Oi tem a terceira melhor internet em termos de velocidade, apresentando 11,76 Mbps. A TIM foi menos rápida, com uma internet média de 10,57 Mbps.

Tempo sem sinal

O relatório da OpenSignal mostra, no entanto, um  ponto negativo: nenhuma das quatro grandes operadoras do Brasil foram capazes de manter uma conexão 4G por mais de 50% do tempo, mostrando que eles tem muito trabalho a fazer para tornar a tecnologia LTE mais presente no território brasileiro.

A Claro manteve uma conexão 4G/LTE por 49,88% do tempo de acesso. Vivo (49,34%), TIM (48,35%) e Oi (41,69%) completaram o ranking de disponibilidade.

Porém, utilizando as métricas da OpenSignal, é possível perceber nenhuma das grandes teles apresentou uma falta de sinal completa por mais de 3% do tempo. Neste quesito, quanto maior a porcentagem, pior é o desempenho. Claro e Oi ficaram empatadas com a menor porcentagem de tempo sem sinal: 2,35%. A Vivo apresentou um índice de 2,45% e a Nextel 2,46%. A TIM obteve um desempenho inferior ao das demais, ficando 2,86% do tempo médio analisado sem cobertura 4G.

Cobertura 3G

Se o 4G ainda está engatinhando, a rede 3G já está a pleno vapor no país. Em particular, Nextel, Vivo e Claro tem fornecido um sinal de terceira geração melhor em 80% dos testes da OpenSignal.

Para entrar em detalhes, a Nextel possui a melhor disponibilidade de sinal 3G/HSPA, com 94,86% de proporção de usuários conectados a rede. A Vivo fica na vice-liderança, com 83,35% de disponibilidade de sinal. O pódio é finalizado com a presença da Claro na terceira posição e 81,35% de disponibilidade. TIM e Oi apresentaram resultados bem menos satisfatórios, estando com a internet de terceira geração presente em 71,37% e 59,63% do tempo, respectivamente.

Velocidade 3G

Em termos de velocidade, a Claro novamente aparece na liderança com 2,34 Mbps. A Vivo tem a segunda rede 3G mais rápida, com 2,18 Mbps. Depois vem a TIM (1,95 Mbps), Oi (1,12 Mbps) e Nextel (870 Kbps).


Junto com a divulgação dos dados técnicos de medição de velocidade e desempenho da internet móvel de cada operadora do Brasil, a OpenSignal produziu uma resenha sobre o que achou dos números. Leia na íntegra (em tradução livre):

"A Copa do Mundo de 2014 foi uma prova de fogo para incipientes redes 4G do Brasil, e havia muitas das queixas levantadas contra operadoras do país sobre a qualidade e a consistência de seu serviço durante o longo e extravagante mês esportivo. As operadoras brasileiras, no entanto, estão recebendo uma segunda chance - e mais dois anos para se preparar - para provar a coragem de suas redes de dados móveis em Olimpíadas do Rio do próximo ano.

Como patrocinador oficial dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, a Claro tem mais a ganhar ou perder neste showcase global, mas de acordo com a pesquisa de OpenSignal é também a mais preparada. O terceiro maior operador ganhou os mais altos escalões em quatro das cinco categorias, medindo velocidades LTE e 3G, cobertura e disponibilidade geral da rede. Mas em quase todos os casos, o maior prestador de serviços do país, Vivo da Telefónica, foi nos saltos da Claro.

O principal rollout LTE do Brasil não teve início até 2013, mas seus operadores têm considerável progresso 4G nos intervenientes dois anos. Velocidades LTE bem superior à média mundial de 11,7 Mbps, e até mesmo na janela de tempo de dois meses aquém deste estudo, vimos o desempenho LTE melhorar sensivelmente em três das quatro principais redes dos operadores. Claro, esta é uma tendência que vemos muitas vezes quando as novas redes 4G vêm online. Agora o serviço LTE do Brasil não está muito carregado. Como os operadores recebem mais assinaturas 4G e suas redes se tornam mais congestionadas, essas velocidades provavelmente vão descer.

Agora assinantes brasileiros estão recebendo um sinal de LTE em cerca de metade de todas as sessões de dados. Isso é nada desprezível considerando que o mercado 4G do Brasil ainda é jovem, mas operadoras brasileiras ainda têm algum trabalho a fazer antes que o LTE seja realmente generalizada. Dito isto, o Brasil tem algumas redes 3G decentes para os consumidores que voltarem a cair. Apenas um operador, Nextel, possui velocidade média 3G inferior a 1 Mbps, sendo que três deles foram capazes de fornecer uma rede 3G ou melhores dados em mais de 80 por cento do tempo. Além disso, os usuários móveis do Brasil experimentaram relativamente pouco tempo fora do alcance da cobertura do sinal em comparação com outros países desenvolvidos.

Claro, três meses durante um inverno típico brasileiro será nada comparado com três semanas de Jogos Olímpicos de festividades. Por esta altura no próximo ano, vamos saber o quão preparadas as redes do Brasil estão."

Leia também:

3 comentários:

  1. Aguardando o final da instalação do sinal do 3G da Tim em Nova Venécia - ES (Região Norte do Espirito Santo).

    ResponderExcluir
  2. Boto fé nesses APP como o Opensignal, o banco de dados com informações que possivelmente tem das operadoras, vale uma fortuna, principalmente devido a notas que soltam, como essas...

    ResponderExcluir