terça-feira, 23 de junho de 2015

Em site, GVT anuncia união com a Vivo ao público

O que você achou? 
Assista ainda a uma entrevista concedida pelo novo presidente da Telefônica Vivo, Amos Genish, que revelou quais são os seus planos futuros para o sucesso da união entre Vivo e GVT no Brasil.

A empresa de banda larga, telefonia fixa e TV por assinatura GVT já começou a atrelar a sua marca a da operadora Vivo. Em seu site oficial, a empresa fundada por Amos Genish - agora diretor presidente da Telefônica Vivo - criou um site para informar ao público que as duas empresas (GVT + Vivo) agora são apenas uma, e "tranquilizar" os seus clientes de que nada vai mudar para eles, muito menos as formas de atendimento.

No entanto, ao invés de um comunicado contendo informações de que foi comprada pela Vivo, a GVT, em poucas palavras, preferiu dizer que as empresas se uniram, numa espécie de parceria. Destacando alguns benefícios da "união": HD Para Todos + Banda Larga Ultra-Rápida + Fixo Até Fora de Casa + Líder em 4G no Brasil + Respeito; a empresa tenta demonstrar a força de uma nova companhia que surge no mercado.

Porém, Amos Genish, novo diretor da Vivo/GVT, já disse que a marca GVT deve morrer em breve. Surgirá uma nova Vivo, integrando telefonia móvel, fixa, banda larga e TV por assinatura numa única conta, e num único atendimento. Para Genish, é doloroso se despedir de uma empresa que criou. Em uma entrevista para a revista Exame, ele chegou a dizer que recebeu críticas sobre a extinção da GVT, mas sempre responde: "como eu construí esse nome, também tenho o direito de matar a marca".

Compra da GVT

O Grupo multinacional Telefónica, por meio da Vivo, disputou durante o segundo semestre de 2014, com a Telecom Italia Mobile (TIM) a operadora GVT. Porém, acabou levando a melhor e comprou a GVT em setembro do ano passado por cerca de 7,2 bilhões de euros (algo em torno de R$ 24,76 bilhões na cotação atual). A ideia da Vivo é crescer no setor de banda larga fixa e TV por assinatura fora do Estado de São Paulo, onde já possui operações. Elevar a receita da companhia por meio de pacotes convergentes também é prioridade.

Para que tudo dê certo, a Telefônica removeu Antônio Carlos Valente do cargo de diretor presidente da empresa. Para compensar a perda do líder, colocou no lugar ninguém menos do grande responsável pelo sucesso da GVT: Amos Genish, fundador e até então presidente da operadora de serviços fixos.

Em entrevistas concedidas à imprensa, Genish já revelou diversos projetos que tem em mente para a nova fase da Telefônica Vivo no Brasil, que deve começar a entrar em ação a partir do mês de julho deste ano. Aliás, o segundo semestre do ano começa em uma semana. Estamos bem perto de começar a ver e sentir as mudanças de duas empresas bem sucedidas do setor de telecom.

Assista abaixo a uma entrevista do novo presidente da Telefônica/Vivo/GVT ao programa Show Business, transmitido pela TV Bandeirantes.


Leia também: Brasil é alvo de fusões e aquisições. Qual deve ser nosso futuro?
                         Telefónica exibe comercial com beijo gay para divulgar serviço de banda larga

Nenhum comentário:

Postar um comentário