quarta-feira, 27 de maio de 2015

Clientes denunciam assédio feito por atendentes das operadoras

O que você achou? 
Funcionários gravam número de contato dos consumidores para dar cantadas após uma ligação. Veja conversas.

Diversos clientes das empresas NET, TIM e Vivo utilizaram as redes sociais para desabafar sobre o assédio que vem sofrendo por parte de funcionários contratados pelas operadoras de telefonia para atende-los. Se gostar de alguém durante uma chamada, alguns atendentes anotam o número de contato disponível no sistema das empresas para tentar "algo mais" com os usuários.

Tudo começou com uma postagem feita pela jornalista Ana Prado em sua conta na rede social Facebook, ela conta: "o cara me adicionou no WhatsApp sem permissão, me mandou estas mensagens, disse que eles tem 'acesso a todos os dados dos clientes', se recusou a deletar meu número, está levando tudo na brincadeira e me desafiou a processá-lo".

Hoje de manhã me ligaram da Net pra oferecer um pacote. Disse que não estava interessada, agradeci e desliguei. Agora o...
Posted by Ana Prado on Terça, 26 de maio de 2015

A publicação de Ana teve grande repercussão, recebeu milhares de curtidas e compartilhamentos e outras pessoas decidiram também contar suas histórias.

Rodolpho Rodrigo, cliente da TIM, ligou para a operadora com o intuito de resolver problemas com a sua fatura. Foi atendido por Hugo que, apaixonado por sua voz, passou a enviar mensagens de texto para o seu celular. Apesar de ter preferido não tomar nenhuma medida judicial contra a empresa ou o atendente, Rodolpho também registrou as mensagens e publicou no Facebook.

Recebi uma ligação da TIM Brasil pra falar sobre uma fatura minha e, após a ligação, o atendente HUGO pegou meu celular...
Posted by Rodolpho Rodrigo on Sábado, 28 de setembro de 2013

Um consumidor da Vivo chamado Pietro Brugnera também passou por algo parecido com um atendente da operadora e contou o caso no post da jornalista.

Até uma pergunta íntima como "você assiste pornô?" foi feita por um funcionário.

O outro lado

A NET informou que o funcionário que praticou o assédio contra a cliente Ana Prado é de uma empresa terceirizada, e que em suas operações de atendimento é extremamente proibido entrar com lápis, caneta, papel, celular, ou qualquer outra coisa que possibilite a gravação de dados pessoais dos seus clientes. Recomendou ainda que a cliente registrasse Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima, e se comprometeu a acompanha-la ainda na tarde desta quarta-feira (27). A operadora disse ainda que pretende criar um canal para receber denúncias desse tipo, para que situações como essa não se repitam, já que é algo que pode sujar a segurança de informação da companhia.

A TIM afirmou que "repudia o uso indevido de informações pessoais dos seus clientes [...] Possui um Código de Ética e de Confidencialidade e é rigorosa no cumprimento dessas regras e no treinamento de seus funcionários." A companhia disse que o caso mencionado envolvendo a sua marca ocorreu em 2013, e que, como não foi acionada na época, não irá tomar nenhuma medida contra o atendente em questão.

Já a Telefônica Vivo disse que o caso mencionado encontra-se em "apuração interna e estão totalmente desalinhados com as práticas e valores da empresa [...] Se for constatada a conduta incorreta dos atendentes, a companhia tomará as medidas administrativas cabíveis. Além disso, a orientação aos profissionais será reforçada, além da empresa adotar ações preventivas para evitar que situações desse tipo voltem a ocorrer."

Nenhum comentário:

Postar um comentário