terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Polícia faz buscas na PT Portugal para investigar fraude

O que você achou? 
Ação acontece a menos de uma semana da reunião do grupo de acionistas da Portugal Telecom, para decidir o seu futuro.

A Polícia Judiciária e o Ministério Público de Portugal fizeram buscas nesta terça-feira (6) na sede da empresa Portugal Telecom, controlada pelo Grupo Oi. Segundo a Procuradoria-Geral da República de Portugal (PGR), a PT SGPS foi o alvo das buscas por suspeita de fraude qualificada relacionadas a aplicações financeiras feitas pela companhia, dentre elas o investimento de aproximadamente 900 milhões de euros na Rio Forte, da família Espírito Santo.

O beneficiado pelo investimento, Banco Espírito Santo (BES), anunciou falência dias após a descoberta do negócio, colocando a Portugal Telecom em várias saias justas. Uma das primeiras consequências veio com a Oi anunciando que se a PT quisesse continuar com o processo de fusão com ela, teria que aceitar novas regras ditadas pelos brasileiros. Entre as novas regras estava a diminuição da fatia da PT Portugal na CorpCo (empresa que seria criada após a fusão Oi-PT) e aumento da participação da Oi.


A PT SGPS é dona de 25,6% da Oi. Em compensação, a Oi é dona de 100% da Portugal Telecom, o que dá a brasileira mais liberdade para vender sua operação em Portugal, que é o seu maior desejo no momento. A Oi quer se livrar de vez da Portugal Telecom, tanto é que já aprovou a venda da PT para a Altice, mas tem que torcer para que os acionistas da companhia portuguesa aceitem esse fim para a empresa.

Buscas na empresa de auditoria Price Waterhouse Coopers também foram feitas hoje, na tentativa de obter documentos de transações feitas pela Portugal Telecom.

Mais detalhes sobre a operação do governo luso, que até o momento estava apenas observando todos os acontecimentos com a principal empresa de telecomunicações de seu país Portugal, não foram divulgadas. A investigação está sob segredo de justiça.

A emissora de TV portuguesa SIC, controlada parcialmente pela brasileira Rede Globo, fez uma reportagem sobre o caso:




População portuguesa começa a agir

A Oi está mostrando todo o seu poder sobre a Portugal Telecom, casos raros em que o Brasil consegue controlar empresas fora do país. A Oi seria o orgulho da pátria brasileira? Talvez. Mas para os portugueses, isso parece mais uma afronta do Brasil contra Portugal.


O Minha Operadora já mostrou aqui diversos comentários de portugueses em sites estrangeiros criticando a atitude da Oi de vender sua participação na PT. Muitos criticaram o governo português por não agir contra a decisão da empresa brasileira, outros criticaram diretamente a própria Oi.


Agora, o Sindicato dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV) de Portugal, começou a organizar protestos contra a venda da PT. Os ativistas prometem que vão se concentrar nacionalmente em 12 de janeiro, dia que está marcado para os acionistas da Portugal Telecom decidirem em reunião se aprovam a venda da PT para a Altice como quer a Oi.

"Para dar voz às nossas preocupações está marcada uma concentração nacional de ativistas sindicais para o dia 12 de janeiro, aquando da assembleia de acionistas, a partir das 14:00, frente ao edifício-sede da PT", diz o comunicado do SINTTAV.

Os sindicalistas até estão dispostos a acordo, desde que a nova dona da Portugal Telecom prometa que vai manter os benefícios trabalhistas existentes, e fazer a manutenção deles. Dentre as reivindicações está a permanência do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) existente, do plano de saúde atual, dos 27 mil funcionários contratados direta e indiretamente, do diálogo social e da capacidade técnica e de inovação da operadora.

"No momento, a nossa preocupação é a venda da PT e não os compradores, porque estes, regra geral, seja a Altice ou outro, são todos iguais, têm como objetivo o lucro e mais lucro, desrespeitando os trabalhadores e os seus direitos", disse o sindicato.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) de Portugal também fez protestos com faixas em frente a residência oficial de São Bento, em Lisboa.


                         Fusão entre Oi e Portugal Telecom enfrenta sérios riscos

Com informações de imprensa portuguesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário