segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Grande reunião da Portugal Telecom é adiada

O que você achou? 
Sala de reuniões da companhia ficou vazia. Momento seria útil para decidir sobre a venda da PT Portugal pela Oi.

A tão aguardada reunião dos acionistas da Portugal Telecom, marcada para esta segunda-feira (12), não foi realizada no dia de hoje. Os acionistas da companhia decidiram adiar a decisão para a quinta-feira, 22 de janeiro. A reunião seria realizada para avaliar a venda da PT para a francesa Altice por 7,9 bilhões de euros, como quer a brasileira Oi.

Durante a semana passada, vários ativistas e sindicatos foram às ruas para pedir a suspensão da reunião. Eles queriam tempo para obter mais informações sobre a venda da PT aprovada pela Oi, além de como cancelar o processo de fusão com a Oi. Os portugueses afirmam que existem vários indícios que provam que a brasileira violou o contrato de união original com os portugueses e exigem que a fusão entre as operadoras seja interrompida.

A CMVM (Comissão de Mercado de Valores Mobiliários de Portugal) já disse que não havia ficado satisfeita com o relatório divulgado pela PwC (PriceWaterHouse Coopers), e buscou uma posição da Portugal Telecom sobre a falta de informações importantes para que os acionistas possam concluir a venda da operadora à Altice.

Sindicatos de trabalhadores em Portugal (SPTP) também requereram a suspensão da reunião e prometem fazer esforços para que a parceria da Portugal Telecom com a Oi seja desfeita. "A possibilidade da fusão com a Oi deverá ser estudada por existirem indícios de descumprimento da Oi suficientes para avançar com a quebra dos contratos", disse o sindicato. "O STPT subscreve o entendimento de que deverá ser convocada uma nova assembleia geral na qual se possa discutir a anulação da fusão entre a PT e a Oi e a resolução retroativa do contrato", afirmou o presidente do sindicato, Jorge Félix.

A venda da participação da Oi na Portugal Telecom (100% da empresa) para a Altice precisa ser autorizada por pelo menos 66% (ou 2/3) dos acionistas da empresa. Segundo analistas, no entanto, este apoio não está garantido, ainda mais agora com a pressão de sindicalistas e órgãos fiscalizadores.

Apesar de deter a totalidade do capital da operadora de telecomunicações Portugal Telecom, a PT SGPS (ou Portugal Telecom S.A.), controladora da PT Portugal, possui vários donos, dentre eles a Oi. Para que a decisão da Oi sobre a venda da Portugal Telecom seja aprovada, a maioria dos demais acionistas da PT SGPS precisam concordar com o negócio. Esses principais acionistas são:

  • Novo Banco (antigo BES - Banco Espírito Santo): 12,6% de participação
  • RS Holding (Ongoing - controla iG, O Dia e Valor Econômico no Brasil): 10,05%
  • Telemar Norte Leste S.A. (Oi Brasil): 10%
  • Norges Bank (Banco Central da Noruega): 4,96%
  • UBS Group AG (União dos Bancos Suíços): 3,56%
  • Grupo Visabeira (Holding Multinacional de Portugal): 2,64%
  • IGFCSS (Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social): 2,28%
  • Controlinveste International Finance (Grupo de Mídia de Portugal): 2,28%
  • Morgan Stanley (Empresa norte-americana de serviços financeiros): 2,26%

Altice sobre o adiamento da reunião

A Altice decidiu se pronunciar ao ficar sabendo da decisão dos portugueses de suspender a reunião por 10 dias. Em comunicado, a companhia francesa voltou a dizer que a venda da Portugal Telecom é a melhor coisa a se fazer, tanto para a própria operadora, como para os trabalhadores e o programa de investimentos da empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário