terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Empresária Isabel dos Santos retira oferta pública pela PT

O que você achou? 
Obrigada a aumentar sua proposta pela Portugal Telecom, a mulher mais rica da África deve procurar outras alternativas.

A empresa Terra Peregrin (que representa a bilionária angolana Isabel dos Santos) anunciou a retirada da OPA (oferta pública de ações) pela Portugal Telecom nesta terça-feira (23). A decisão foi tomada após a CMVM (Comissão da Bolsa de Valores Lusa) afirmar que seria necessário a empresária aumentar o valor por ação oferecido a PT Portugal, para cumprir a legislação vigente em Portugal, para o equivalente a média dos últimos seis meses do desempenho da companhia.

Se essa determinação do órgão regulador de Portugal fosse levada a sério pela Terra Peregrin, Isabel dos Santos teria que passar a oferecer 1,94 euro por ação da PT. No entanto, a empresária e sua equipe descartaram essa possibilidade, dizendo que o valor oferecido de 1,35 euro por ação já era justo. Hoje, a PT SGPS fechou a Bolsa de Valores de Lisboa cotada a 1 euro.

Confessa desistente de tentar adquirir a Portugal Telecom por meio da oferta pública de ações, Isabel acusou, no entanto, a própria administração da companhia de telecomunicações de tentar dificultar a aceitação de sua proposta.

“Interrogamo-nos sobre os interesses menos transparentes que levaram a administração da PT SGPS a opor-se à chegada da oferta pública de aquisição (OPA) ao mercado, incluindo a difusão de informação comprovadamente falsa [...] A história desvendará as motivações da administração da PT SGPS ao dificultar uma oferta que representa 100% de prémio sobre as cotações da Oi, enquanto tudo fazia para estimular um negócio que destrói valor para grande parte dos acionistas [...] À administração da PT SGPS será imputada a responsabilidade principal de ter dificultado o acesso dos acionistas a uma oferta ao preço de 1,35 euros [...] bastará acompanhar a evolução das cotações da empresa [...] usámos da máxima transparência e sempre dissemos que ela constituía um meio para atingir o objetivo da criação de um operador de telecomunicações multinacional de base lusófona [...] Estamos determinados em prosseguir essa estratégia pelo que vamos continuar a analisar alternativas ao investimento que tínhamos projetado na PT SGPS”, disse uma fonte da Terra Peregrin.

Ações da Oi se valorizam "como num passe de mágica"

Reprodução/Oi - Relações com Investidores.

Aqui no Brasil, as ações ordinárias da Oi (OIBR3) encerraram a sexta-feira (19) cotadas a R$ 1,15, mas amanheceram nesta segunda (22) valendo incríveis R$ 10,30, numa valorização de 591,28%. As ações preferenciais da operadora brasileira (OIBR4) apresentaram alta de 583,45%, fecharam a sexta valendo R$ 1, mas acordaram na segunda-feira cotadas a R$ 9,50 cada.

Mas calma, isso não aconteceu porque a empresa se valorizou no mercado. Acontece que a operadora agrupou suas ações na proporção 10:1. Isso significa que cada 10 ações da Oi se tornaram apenas 1 lote, e os seus valores, obviamente, passaram a ser negociados na bolsa já agrupados.

A Oi já havia enviado um comunicado aos seus acionistas sobre a decisão desde 18 de novembro, dando assim 30 dias para que os acionistas conseguissem se reorganizar dentro da nova estrutura da companhia. As frações que sobrarem resultantes do processo de reorganização serão negociadas pela própria BM&FBovespa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário