domingo, 17 de agosto de 2014

Receita da Algar Telecom cresce 15,8% e atinge R$ 560 milhões

O que você achou? 
O lucro líquido da operadora fundada por Alexandre Garcia (que deu origem ao nome da empresa) alcançou os 32 milhões de reais.


A Algar Telecom, empresa de telecomunicações e TI do grupo Algar (ex-CTBC), registrou receita líquida de R$ 560 milhões no 2º trimestre de 2014. O resultado é 15,8% maior que o do mesmo período de 2013.

A receita bruta registrada, entre os meses de abril a junho, foi de R$ 712,7 milhões, com ganho de 13,6% quando comparada à do mesmo período do ano anterior. Neste período, a Algar Telecom teve lucro líquido consolidado de R$ 32,4 milhões. O EBITDA consolidado atingiu R$ 138,8 milhões, um aumento de 12,7% em relação ao do mesmo trimestre do ano anterior (R$ 123,1 milhões).

No trimestre, a empresa teve crescimento de 25,3% na base de clientes móveis e aumento de 20,2% na receita com telefonia móvel. As receitas com soluções de voz e dados para o segmento corporativo cresceram 15,7% e as receitas com TV por assinatura aumentaram 22,0%.

As receitas da área de Tecnologia de Processos de Negócios cresceram 53,4% no período, atingindo R$ 204,9 milhões. Ao final do 2T14 as receitas de TI já representavam 45% da receita total da área. O crescimento é resultado tanto da incorporação das receitas da empresa Asyst (adquirida pela Algar Tech em janeiro deste ano) e do crescimento das receitas de Relacionamento com Cliente e TI.

“O resultado superou o planejamento da empresa. Tivemos um bom crescimento e demos continuidade aos nossos projetos de investimentos voltados, principalmente, ao corporativo. Nossa filosofia de atuação está sempre voltada para o longo prazo. Estamos sempre olhando à frente”, explica o presidente da Algar Telecom, Divino Sebastião de Souza.

Ao final do 2T14, a Algar Telecom tinha cerca de 2,9 milhões de unidades geradoras de receita (UGRs) em seu negócio Telecom, uma adição líquida de 353 mil linhas em relação ao mesmo período do ano anterior. A evolução de 13,8% foi impulsionada, principalmente, pelos serviços de telefonia móvel e fixa.

A Companhia encerrou o segundo trimestre com 1,257 milhão de telefones fixos, um crescimento de 10,3% em relação ao 2T13 impulsionado, sobretudo, pelas vendas ao segmento corporativo. Na concessão, o número de linhas passou de 787 mil para 814 mil, uma evolução de 3,5%. A receita com serviços de voz fixa atingiu R$ 100,4 milhões.

A base de clientes de telefonia móvel chegou a 1,03 milhão no final do 2T14, crescimento de 25,3% em relação ao 2T13. O número de clientes pré-pago cresceu 29,7% sobre o segundo trimestre de 2013, atingindo 786 mil no 2T14. O pós-pago, por sua vez, cresceu 12,9% no período. Já os acessos banda larga móvel, atingiram 119 mil acessos. A receita bruta de serviços móveis alcançou R$ 100,8 milhões no trimestre, 20,2% superior à registrada no 2T13.

A receita de serviços de dados foi de R$ 231,9 milhões no 2T14. Os serviços ofertados ao segmento corporativo, excluindo fator pontual que afetou positivamente o 2T13 em R$ 20,5 milhões, cresceu 15,7% no período, passando de R$ 127,3 milhões no 2T13 para R$ 147,3 milhões no 2T14.

A empresa investiu R$ 117,4 milhões no trimestre, contra os R$ 92,5 milhões no mesmo período do ano anterior. Do total de investimentos, 66% foi direcionado à expansão das redes - com foco em infraestrutura para entrega de serviços de dados ao mercado corporativo e modernização e ampliação das redes de banda larga com uso de fibra óptica - 6% para o crescimento da operação de Tecnologia de Processos de Negócios e 28% para garantir a manutenção e a qualidade das operações.

Investimento em pontos de acesso à internet Wi-Fi

A Algar Telecom está preparando um projeto para a instalação, em 2015, de 400 APs (pontos de acesso) WiFi para complementar a sua infraestrutura de rede de celulares em pontos estratégicos e de alta movimentação pública. O projeto prevê o atendimento da demanda em ambientes fechados e abertos e tem como finalidade também atrair novos clientes à operadora, além de garantir a satisfação da base usuária.

Segundo Luis Antonio Andrade Lima, Diretor de Operações e Tecnologia da Algar Telecom, a operadora considera o modelo híbrido de redes de celulares e redes WiFi uma tendência irreversível. "Estamos vivendo a transição do 3G para o 4G e evoluindo para 5G, mas o expectro é limitado. Por isso, estamos evoluindo para a complementariedade", diz.

Para ele, os usuários querem mobilidade, mas não necessariamente redes móveis. "Em 70% dos casos as pessoas estão paradas. As redes heterogêneas, com certeza, são grandes aliados." E nada será suficiente para suprir a demanda de banda dos clientes e aplicações. "Toda a tecnologia existente será utilizada", diz, ao argumentar que WiFi será importantíssimo para cobrir ambientes indoor e áreas públicas.

Para ajustar o modelo, a Algar Telecom implantou este ano um projeto-piloto em Uberlândia (MG), onde está a sede da companhia, com mais de 100 Access Points (APs), e tem a expectativa de ampliar para as outras áreas de atuação com mais 400 APs no próximo ano (2015).

Lima acredita que o 3G ainda terá sobrevida longa, chegando a 2019/2020 fazendo 60% das conexões de voz para as outras redes. "Outro fator que dá sobrevida ao 3G é o custo do aparelho 4G, que ainda é muito alto", completa o executivo.

Tanto o projeto-piloto em Uberlândia quanto a expansão está baseada em tecnologia Cisco. "Para estas iniciativas este será o fornecedor", finaliza Lima.

Empresa também investe em sustentabilidade


Tendo a sustentabilidade como um de seus pilares de desenvolvimento, a Algar Telecom investiu no incentivo ao mercado de energias renováveis e geração distribuída. A operadora instalou em Uberlândia (MG), cidade sede da empresa, o primeiro site de telecomunicações do Brasil com energia solar fotovoltaica conectada a rede elétrica.

Foram instalados 28 painéis de energia solar fotovoltaica, capazes de gerar uma energia anual de 9.500 kWh. O investimento foi de R$ 84 mil para placas que possuem uma vida útil de 40 anos. O sistema está legalizado como geração fotovoltaica distribuída na concessionaria CEMIG e na ANEEL.

Segundo o diretor de Operaçoes e Tecnologia da Algar Telecom, Luis Antonio Andrade Lima, a operadora possui uma coordenação de Planejamento e Engenharia que trabalha com metas de eficiência energética e sustentabilidade. "A geração do sistema fotovoltaico consegue suprir, em média, 60% do consumo anual do site. Além de termos ganhos financeiros reais, contribuímos para evitar momentos como o que estamos vivendo agora, de crise energética", afirmou Lima.

Com informações de ComputerWorld, Segs e IPNews.

Nenhum comentário:

Postar um comentário