sexta-feira, 27 de junho de 2014

Por qualidade, TIM limita terceirização e investe em equipe própria

O que você achou? 
Para maior controle de operação na transição de voz para dados, a operadora decidiu substituir fornecedores por equipes de gestão de rede próprias.

A TIM acaba de concluir o processo de internalização de seu Network Operation Center (NOC), o centro de gestão de rede da operadora para os segmentos móvel e fixo. A partir de agora, a companhia não trabalha mais com fornecedores externos para as atividades de monitoramento e gestão da rede, mas sim com funcionários 100% próprios. 

O objetivo da operadora é ter controle direto sobre os processos e equipes para melhorar ainda mais seus indicadores de qualidade de serviço. Durante seis meses, foram investidos R$ 8 milhões em treinamento de pessoal e em infraestrutura para garantir um centro de excelência de gestão de rede, em linha com as melhores práticas do mercado.

Atualmente, o NOC dispõe de 400 funcionários, distribuídos em quatro unidades: duas no Rio de Janeiro, no Rocha e na Barra da Tijuca, e outras duas em São Paulo, em Santo André e na Lapa. Eles monitoram e fazem a gestão de 12,5 mil sites, 70 mil quilômetros de fibra óptica, 900 elementos de rede Core IP, 6,7 mil equipamentos de transmissão e 1,3 mil MSANs - equipamentos multisserviço de acesso IP que possibilitam a interligação do tráfego das redes de alta velocidade. 

“Todos os processos foram redesenhados para garantir a agilidade e assertividade no monitoramento da rede, prevendo possíveis falhas e agindo imediatamente em caso de indisponibilidade do serviço. A internalização do Network Operation foi um passo fundamental para fazer melhorias na infraestutura, que irão refletir na qualidade do serviço prestado ao cliente”, diz Carlo Filangieri, CTO da TIM Brasil.

Com informações de ComputerWorld.

Um comentário: