sexta-feira, 2 de maio de 2014

TIM usa fibra óptica para entrar no mercado de dados corporativos

O que você achou? 
Após a incorporação da Intelig, a TIM se prepara para conquistar novos clientes corporativos e vai usar a fibra como seu grande 'trunfo'.

A TIM está entrando na briga direta pelo mercado de dados corporativos. Com a consolidação dos negócios Intelig (que desaparece como marca) a operadora se prepara para conquistar novos usuários e usa a fibra óptica como diferencial diante aos serviços mais tradicionais, mas ainda bastante usados como o ATM, Frame Relay e as próprias redes de cobre. 

O diretor da unidade de negócios corporativos fixo da TIM, Alex Salgado, confirma que a operadora (agora com uma rede multisserviço e com redes metropolitanas baseadas em fibra óptica) ambiciona uma fatia do mercado de comunicação de dados, hoje, dominado pelas ex-imcubents - Telefônica/Vivo, em São Paulo, Oi, no restante do país e, especialmente, pela Embratel. No radar, cerca de 85 mil novas corporações que podem vir a participar da carteira corporativa.

"Vamos fazer um trabalho paras as empresas e integrar os dados fixos como os serviços 3G e 4G. Temos uma rede própria que demandou investimentos pesados e que, agora, nos permitirá oferecer dados, voz e vídeo, na demanda que o cliente desejar - de 10 Mbs a 1 Giga, se for o caso", destalha Salgado. Numa primeira fase, os serviços corporativos vão estar disponíveis em São Paulo - onde a disputa será com a Vivo e com a GVT, que também monta sua rede, e nas cidades de Belém, Campo Grande, Manaus, Natal, Porto Alegre e Rio de Janeiro. 

Segundo dados da TIM, nessa área, pelo menos 10 mil empresas poderão virar clientes efetivos. Nos próximos seis meses, outras capitais serão incluídas e a previsão é chegar a 80 cidades até o final de 2015. Hoje, a maior parte dos clientes corporativos da TIM está concentrada nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. "Vamos abrir nossa frente de atuação. Na região Norte, por exemplo, com a rede que fizemos para atender Amazonas, Pará e Amapá, acreditamos chegar para ampliar a oferta", explicou Salgado.

Num embate onde tem atores já estabelecidos, a TIM, diz Alex Salgado, aposta na qualidade da sua rede (100% baseada em fibra óptica) e, claro, também adotará uma estratégia de oferecer preços competitivos. Na nova oferta, o link de 10 Gbps sai a partir de R$ 1.990,00, com a possibilidade de voz com tarifas competitivas. "Não há a intenção de uma guerra de preços, mas vamos ser bastante agressivos", sustentou o executivo. 

O alvo inicial são as empresas de maior porte e que demandam uma oferta de dados corporativos para os seus negócios. "Não vamos 'brigar' com a Live, porque eles têm como alvo o mercado SOHO e o usuário final. E as PMEs terão uma política específica, que a TIM vai lançar em breve", adianta Salgado, sem no entanto, revelar detalhes sobre essa nova unidade de negócios.

A TIM comprou a Intelig, em 2009, por R$ 650 milhões. Segundo ainda a tele, a maior parte dos atuais 3 mil clientes empresariais da Intelig vão ser transferidos para essa rede multisserviço. "Há dois anos estamos nesse processo de migração. Estamos ofertando uma melhoria de qualidade e os clientes estão entendendo essa migração como positiva", completou Salgado.

Com informações corrigidas de Convergência Digital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário