sábado, 24 de maio de 2014

TIM investe em serviço de proteção contra ataques DDoS

O que você achou? 
Operadora investiu no serviço quatro milhões de reais para ajudar empresas a se protegerem contra ataques virtuais.

A TIM anunciou sua oferta de serviços para ajudar empresas a se protegerem contra ataques de DDoS (Distribution Denial Service). Para entrar nessa área, a operadora investiu R$ 4 milhões e o serviço será prestado pelo seu Security Operation Center (SOC), localizado na cidade de Santo André (SP). O público alvo são grandes companhias com alto tráfego de dados, principalmente bancos.

O serviço monitora qualquer alteração suspeita e, quando detectada, o tráfego indesejado é automaticamente desviado para uma estação de segurança, sem que o servidor do cliente seja afetado. Hoje, a TIM já administra, em média, 4.500 ataques por mês.

Segundo a Cert.BR - Centro de Estudo, Resposta e Tratamento de incidentes de segurança no Brasil - em 2012 o país sofreu mais de 46 mil ataques de negação de serviço, 64% originados aqui mesmo, seguido por Estados Unidos com 11% e China com 6%.

"Os ataques DDoS são uma enorme ameaça à disponibilidade de serviços das empresas, bastando ter um IP para estar vulnerável. Fazer o monitoramento por meio de uma operadora é a melhor forma de se proteger uma vez que temos ferramentas que permitem remover o tráfego sujo para análise e limpeza sem interromper os serviços à empresa e aos seus clientes, evitando prejuízo financeiro ou indisponibilidade de banda", explica Alex Salgado, Diretor da Unidade de Negócio Corporativos.

O monitoramento é feito pelo SOC da operadora, que opera 24 horas por dia. A equipe é formada por funcionários da TIM, com tecnologia própria, e há participação do fornecedor Arbor para venda e suporte ao produto.

No SOC, são analisados os riscos e há um monitoramento de tentativas de ataque contra a própria TIM e seus clientes corporativos 2G, 3G, 4G, de banda larga e fixa. O Security Operation Center da TIM é integrado ao Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (Cert.br), mantido pelo NIC.br, do Comitê Gestor da Internet do Brasil e foi o primeiro de uma operadora móvel a fazer parte desta rede de defesa.

Com informações de TudoCelular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário