sexta-feira, 2 de maio de 2014

Contra a Aids, Vivo dispara torpedos para ajudar a divulgar ONG

O que você achou? 
Telefônica/Vivo vai aproveitar a Parada Gay de São Paulo para enviar mensagens de encorajamento e apoio a pessoas portadoras do vírus HIV.

Nessa quarta-feira (30), a Vivo vai disparar cerca de 200 mil torpedos, convidando seus clientes a aderirem ao Trio Solidário, iniciativa da Agência Aids que arrecadará mantimentos para as ONGs de assistência às pessoas com HIV, durante a Parada Gay deste domingo (04). “Pratique cidadania. Participe do Trio Solidário. Saiba como: www.agenciaaids.com.br. Vivo apoia campanha da Agencia Aids” é o texto que os assinantes Vivo receberão em seus celulares 

A ação faz parte do programa Bem Perto, da Vivo, que desenvolve campanhas de prevenção junto aos colaboradores e clientes utilizando torpedos SMS com mensagens e informações de utilidade pública. Alertas sobre combate à febre amarela e à dengue, incentivo a amamentação e vacinação contra rubéola são alguns dos temas já abordados. As ações podem ser regionais, nacionais ou segmentadas pelo tipo de cliente (pré ou pós-pago, por exemplo) ou colaboradores (localidade). 

Iniciativas desse mesmo programa também são feitas em parceria com o Ministério da Saúde, hemocentros e prefeituras. Ercy Paschoal, gestora do Bem Perto, acredita que esse tipo de comunicação que mobiliza é benéfico para a saúde e a qualidade de vida, tanto dos colaboradores quanto da comunidade. “É uma forma da Vivo exercitar sua responsabilidade social e apoiar iniciativas para o bem comum”, disse Ercy.

“Fiquei muito feliz e agradecida à Vivo por ter resolvido nos ajudar a informar sobre a existência do Trio. Se os clientes decidirem colaborar, vamos conseguir arrecadar mais mantimentos”, disse Roseli Tardelli, criadora do Trio.

Sobre a Parada

Essa será a 18ª Parada Gay de São Paulo e tem como tema: "País vencedor é país sem homolesbotransfobia: Chega de mortes! Criminalização já!"

Fernando Quaresma, presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT (APOLGBT), explica por que esse tema foi escolhido: "No ano passado, o Senado enterrou o PLC 122 [projeto de lei da Câmara que pede a criminalização da homofobia]. Ele foi tirado da pauta de votação sem explicações aceitáveis para a comunidade LGBT. Mas não vamos nos calar ou desistir, pois temos direito a uma lei que nos proteja da crueldade e puna os agressores, assim como outros grupos agredidos em razão de cor, etnia e religião.”

Sobre o Trio Solidário

O Trio é uma versão nova do Camarote Solidário, que foi para a avenida no ano passado, depois de dez anos no mezanino do Conjunto Nacional. Ele percorre todo o percurso da Parada, arrecadando alimentos não perecíveis. Quem quiser participar é só levar um quilo e entregar à equipe que estará no veículo – um caminhão tipo baú. Na primeira edição, o Trio arrecadou 500 quilos de mantimentos. Na 10ª, em 2012, conseguiu 3,3 toneladas de alimentos, que foram distribuídos para 11 Ongs e casas de apoio.

“Decidimos ampliar a iniciativa em 2013", explica Roseli Tardelli, editora executiva da Agência de Notícias da Aids e criadora do projeto. “Começamos na rua e para lá voltamos. Nossa ideia é democratizar as possibilidades de solidariedade na cidade, criar mais um espaço onde as pessoas possam participar e ajudar.”

A advogada Áurea Abbade, presidente do Grupo de Apoio à Prevenção à Aids (Gapa) de São Paulo, um dos que já foram contemplados pela arrecadação, diz que as doações garantem cesta básica para inúmeras famílias por três ou quatro meses. “Estes alimentos já nos tiraram de alguns sufocos.”

No bairro de São Miguel Paulista, na Zona Leste da cidade, 15 famílias cadastradas no Instituto Vida Nova também recebem parte dos alimentos arrecadados pelo Trio Solidário, que, para ser realizado, conta com apoio do laboratório Janssen Cilag, Via TV Comunicação e Cultura e Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo.

O Trio sai esse ano com apoio da Jansen Cilag, da Via TV e do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário