segunda-feira, 17 de março de 2014

Obras da Oi para levar fibra ao Amapá avançam e preço da banda larga despenca

O que você achou? 
Acordo já foi assinado pelos responsáveis tanto do Governo quanto da Oi e as obras só avançam.

A infraestrutura é resultado das parcerias da Oi com o governo do Estado do Amapá, Eletronorte, Guyacom e com a Telebras. A partir da nova infraestrutura de comunicação da Oi, está prevista a chegada da banda larga por fibra (atualmente disponível apenas por satélite) nos sete principais municípios do estado: Macapá, Oiapoque, Calçoene, Ferreira Gomes, Tartarugalzinho, Amapá e Santana. A rede também será conectada a mais seis cidades do estado: Itaubal, Cutias, Mazagão, Pedra Branca do Amapari, Porto Grande e Serra do Navio. 

A operadora também anuncia que vai reduzir o preço do serviço. O valor hoje cobrado para conexões de até 1 Mbps é de R$ 69,90, mas a partir desta segunda (17/03) esses planos poderão ser contratados por R$ 29,90 mensais por quem tem ou contratar Oi Fixo.

O fornecimento de internet banda larga por fibra óptica é feito por meio de uma rede de mais de 800 quilômetros, no Amapá e na Guiana Francesa. Deste total, 400 quilômetros fazem parte de uma rede da Eletronorte, já existente no Amapá, gerenciada pela Oi. Além disso, a Oi construiu um trecho novo de rede de fibra óptica com 250 quilômetros, entre Calçoene e Oiapoque, município no ponto mais extremo ao norte do território brasileiro. Na ocasião, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, compareceu ao lançamento das obras.

A partir de Oiapoque, a transmissão é feita pelo território da Guiana Francesa, por cerca de 200 quilômetros, até Cayenne, por uma conexão com a rede de fibra óptica da Guyacom. Este trecho, também novo, foi construído pela Oi em parceria com a Guyacom. A rede continua por cabo submarino até Fortaleza, consolidando assim a ligação da fibra de Macapá e demais localidades do estado do Amapá à rede brasileira de telecomunicações.

Para realizar a obra, a Oi e a Guyacom tiveram de superar o desafio de engenharia de implantar uma rede de telecomunicações que atravessou uma área de floresta na região amazônica. Os técnicos tiveram de enfrentar adversidades geográficas e intempéries climáticas nas obras de implantação da fibra. As particularidades do trabalho em região de floresta incluíram dificuldades provocadas pelas chuvas e os cuidados com a preservação do meio ambiente, ao mesmo tempo em que eram instalados os postes necessários para a colocação da rede aérea de cabos de fibra óptica.

A inauguração da rede de fibra óptica no Amapá faz da Oi a primeira operadora do Brasil com rede de fibra óptica que cobre 100% de todos os estados brasileiros. A rede de fibra óptica da Oi, presente em mais de 4.850 municípios, conecta clientes desde o Chuí, no Rio Grande do Sul, a Oiapoque, na fronteira do Amapá com a Guiana Francesa.

Nova estrutura deve ajudar também na saúde da população


O Ministério da Saúde realiza parcerias de unidades do SUS com hospitais de excelência reconhecida, por meio da transferência de tecnologia e experiências de gestão. O Programa Telemedicina do Einstein auxilia os hospitais do SUS 24 horas por dia. O programa trabalhará em conjunto com 16 instituições públicas de todo o Brasil no tratamento e diagnóstico de casos complexos, prioritariamente para urgência e emergência em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em casos de acidente vascular cerebral (AVC), traumatismos cranianos, infartos do miocárdio, entre outros.

Segundo Milton Steinman, coordenador da telemedicina do Einstein “Cada hospital tem uma vocação, destacando que a telemedicina será um recurso para atender as demandas mais comuns de regiões específicas". A infraestrutura utilizada compreende dispositivos móveis de vídeo (câmera IP e monitor), conectados via rede WiFi.

“A necessidade da telemedicina é clara. Estruturas distantes do País precisam ser interligadas. É possível dobrar a capacidade de atendimento sem ter que construir novos hospitais”, enumera Heitor Gottberg, gerente de vendas da vertical de saúde da Cisco. “Os benefícios começam a ser identificados e sem dúvida a telemedicina assistencial é uma tendência.”

No Amapá o serviço foi viabilizado graças a uma parceria da Oi com a PT Inovação e Governo do Estado. A PT Inovação desenvolveu o Medigraf, solução integrada de comunicação e colaboração de suporte a consultas médicas à distância, que atende o Hospital de Emergência de Macapá desde o início deste mês, e a Oi disponibiliza o link de dados que conecta o HE, no Amapá, ao Einstein, em São Paulo.

Além da saúde muitos órgãos serão beneficiados com a implantação da banda larga no Amapá, pois terão mais agilidade em suas atividades. Com as escolas públicas estaduais não será diferente, pois elas terão acesso a uma internet de qualidade que possibilitará aulas mais interessantes e interativas.

O Estado investe maciçamente em tecnologias para a rede pública. Atualmente, as escolas contam com projetor multimídia, lousa digital, tablets, laptops do programa “Um Computador por Aluno”, além do computador do programa Professor Conectado. Sem falar que, hoje, as escolas contam ainda com o boletim eletrônico, ferramenta implantada para que os estudantes possam ter uma visão geral de seu rendimento e os responsáveis acompanharem a sua vida escolar com mais velocidade e em períodos menores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário