sábado, 29 de março de 2014

Cliente diz que foi chamado de 'imbecil' em torpedo enviado pela Oi

O que você achou? 
Mensagem teria sido enviada ao celular do usuário após o mesmo contatar o serviço de suporte da operadora por dificuldades em efetuar uma chamada. 

O analista judiciário Valdemir Gomes Soares, de 53 anos, afirma que foi chamado de 'idiota' e 'imbecil' após buscar suporte técnico para seu celular na Oi. Ele conta que ligou para a central de atendimento, na última segunda-feira (24), na tentativa de resolver um problema que ele acreditava ter em sua linha telefônica, mas recebeu em seguida a mensagem de SMS ofensiva da operadora.

A Oi afirmou, por meio de nota, que vai apurar as informações e tomar as devidas providências pelo ocorrido. A empresa diz ainda que "o caso apresentado está totalmente fora dos padrões de qualidade e atendimento nas operações da companhia".

Valdemir diz que ligou para a operadora, pois precisava de ajuda porque, quando tentava fazer uma ligação, ouvia uma mensagem de outra operadora informando que aquele número não existia. "No fim das contas, depois que já tinha encerrado a ligação, vi que eu mesmo estava digitando o número errado. Mas isso não justifica a ofensa".

Ele lembra que, em determinado momento da ligação para a central, a atendente que tentava resolver seu problema questionou se ele estava falando do mesmo telefone para o qual queria atendimento. O analista confirmou a informação e, minutos depois, encerrou a chamada.

Logo em seguida, antes de receber a mensagem ofensiva, recebeu um SMS informando o número de protocolo do atendimento. Depois, recorda-se, veio o xingamento também por meio de mensagem, alegando que o cliente não estava com problema, pois ele estava usando o aparelho para falar com a central de atendimento.

Valdemir adianta que já pediu o arquivo contendo a gravação da conversa e que a empresa se comprometeu a enviar o material em até dez dias, prazo estipulado por lei. Ele diz pretende entrar com ação na Justiça por danos morais.

Com informações de G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário