quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Brasil assina acordo para reduzir spams via SMS e roubo de celular

O que você achou? 


Todas as operadoras de telefonia móvel que atuam no Brasil (oito, ao todo) anunciaram nesta terça-feira, 25, um acordo que tem como objetivo reduzir o número de spams enviados para telefones celulares no país. Com este novo sistema, será possível identificar padrões nestas mensagens, de maneira automática, facilitando na hora de prevenir novos envios.

O sistema criado pelas operadoras brasileiras já é utilizado em outros países. Quando os usuários receberem um spam, será possível encaminhá-lo de maneira gratuita para o número *7726 (representação numérica da palavra SPAM). O texto será, então, repassado para todas as operadoras, que poderão analisar os padrões destas mensagens e, principalmente, suas origens. Assim, ficará muito mais fácil evitar que o mesmo número continue a enviar mensagens deste tipo.

Segundo as operadoras em atividade no Brasil, o problema com spams tem crescido de maneira considerável, embora não existam números oficiais para mensurar este aumento. Por se tratarem de mensagens em massa, os spams aumentam ainda mais devido ao maior número de linhas móveis em atividade no país. Estima-se que, atualmente, existam 274 milhões de linhas de celulares em atividade no Brasil. A estimativa das operadoras é de que, nos próximos quatro anos, este número cresça em 19%.

O problema com os spams, que já é grave através de mensagens de textos, tem ficado ainda pior devido à chegada destas propagandas (muitas vezes fraudulentas) a aplicativos que utilizam mensagens de texto, como Skype e WhatsApp. Em 2013, estes aplicativos de conversação superaram, pela primeira vez, as trocas de mensagens de texto tradicionais no Brasil, o que fez com que este segmento passasse a atrair a atenção de quem envia propagandas em massa.

O novo sistema de proteção contra spams faz parte de uma série de ações que serão tomadas pelas operadoras daqui pra frente, com o objetivo de tornar a utilização de celulares e smartphones mais segura. Além deste sistema, as operadoras anunciaram também que, a partir de agora, passarão a trocar informações com empresas internacionais sobre os IMEIs, códigos que são como uma impressão digital dos dispositivos de telefonia móvel.

Com esta troca de informações, será possível identificar aparelhos roubados mesmo em outros países, o que não acontece atualmente. Desta forma, os usuários poderão bloquear o funcionamento de seus chips e celulares mesmo quando eles forem furtados fora do Brasil. O IMEI é um número que identifica o aparelho, não seu chip. Por isso, ao bloquear um celular ou smartphone através deste número de identificação, o aparelho se torna inútil.

De acordo com as operadoras, esta nova medida ajudará a coibir de maneira considerável o contrabando de aparelhos roubados para outros países, o que acontece principalmente em regiões de fronteira. O Brasil é o segundo colocado no ranking mundial de telefones roubados, perdendo apenas para a Índia. Estima-se que, por aqui, cerca de um milhão de aparelhos sejam furtados anualmente.

Tanto o número para denúncia de spams quanto o compartilhamento do IMEI com outros países já estão em funcionamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário