quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Telefônica/Vivo quer aumentar receita no Brasil em 2014

O que você achou? 
Líder no mercado de telefonia móvel no Brasil, a Telefônica|Vivo pretende investir esforços em pequenas e médias empresas e novos nichos de mercado para aumentar ainda mais suas receitas em 2014. A companhia, que já oferece soluções específicas para PMEs há dez anos, tem a expectativa que a representatividade dessa área cresça ainda mais.

“Nós trabalhamos constantemente em busca da ampliação do nosso market share. Crescendo mais, nós vamos ampliar nossa participação dentro do grupo. Conseguiremos isso por meio de lançamentos de produtos inovadores e melhoria dos nossos serviços”, conta Raphael Denadai, diretor de Pequenas e Médias Empresas da Telefônica Brasil.

De acordo com Denadai, atualmente, o negócio de PMEs tem “20,5% de representatividade para a Telefônica” em suas receitas. Ao todo, a empresa tem 7 mil funcionários diretos e indiretos focados exclusivamente em pequenas e médias empresas e 1,2 milhão de clientes neste segmento. “É um segmento bastante eclético. Precisamos de capacidade para atendê-lo da melhor forma possível”, conta.

A empresa oferece serviços específicos para cada necessidade das PMEs. “Esses clientes são dos mais diversos tamanhos. A Vivo atende desde um ponto de táxi com um terminal fixo até bancos com presença nacional que requerem tecnologias avançadas”, revela o executivo. O leque de opções da Vivo é extenso. “Temos desde produtos mais simples, como uma rede fixa, até soluções mais sofisticadas, como fibra óptica e cloud computing”, revela.

Um dos produtos para PMEs oferecidos pela Vivo com maior demanda é o Soluciona TI. A empresa oferece, num único pacote, equipamento, manutenção e internet. “Um microempresário tem uma série de custos para estruturar uma empresa. Para que estes custos não sejam elevados, nós oferecemos PC, manutenção e internet, tudo num mesmo pacote. Este é o Soluciona TI”, revela Denadai. O Soluciona TI traz três opções para as PMEs: desktop, notebook e tablet. “Os planos têm contratos que variam entre 24 a 36 meses. Com o Soluciona TI, o microempresário tem economia real de até 20%, se compararmos os preços deste pacote com os mesmos serviços oferecidos de maneira não agregada”, diz.

Computação em nuvem é uma das grandes apostas da Vivo para expandir os números de lucros provindos de pequenas e médias empresas no Brasil. De acordo com Denadai, a flexibilidade que a solução oferece às PMEs por um custo consideravelmente reduzido é um ponto importante. O executivo afirma que as soluções em nuvem ainda sofrem pequena rejeição por parte das PMEs. “Acreditamos que ainda é um mercado incipiente no brasil. As pequenas e médias empresas ainda têm uma série de dúvidas sobre o serviço e são dúvidas que temos que, aos poucos, eliminar”, conta. Um dos questionamentos mais recorrentes em relação à nuvem é a questão da segurança. Mas o diretor garante completa proteção dos dados das empresas que aderirem à tecnologia fornecida pela Telefônica. “O host deste serviço está dentro do nosso data center, que é superseguro. Investimos R$ 400 milhões para a construção dele no Brasil, é o mais moderno da América Latina”, revela.

Outro nicho de mercado explorado recentemente pela Vivo é o de shopping centers. A empresa criou uma equipe exclusiva que oferece soluções de telecom pensadas especialmente para os centros de compra. Denadai garante que a Vivo consegue oferecer a solução por um preço acessível por ter uma concentração alta de clientes potenciais no mesmo local. “Ampliamos nossa atuação em mais de 40% este ano no mercado de shoppings e esperamos crescer ainda mais em 2014”, analisa.

A Vivo é uma das 27 empresas vencedoras do Prêmio DCI – Empresas Mais Admiradas. A companhia foi premiada na categoria Telecomunicações e desbancou concorrentes de peso como Embratel, Oi e NET.

Nenhum comentário:

Postar um comentário