terça-feira, 5 de novembro de 2013

Vereador e técnicos da Ampla, Net e Oi vistoriam ruas do centro de Angra dos Reis

O que você achou? 
O presidente da Câmara Municipal, Jorge Eduardo Rabha, esteve com técnicos da Ampla (empresa de energia da região), da NET Angra e da Oi realizando uma vistoria pelas ruas do centro de Angra dos Reis, RJ, nesta sexta-feira (01) pela manhã. O vereador solicitou às empresas que retirassem a fiação sem utilização dos postos e fachadas das casas e estabelecimentos comerciais, para amenizar a poluição visual que o emaranhado de fios causa na cidade.

“Fiz um Projeto de Lei no ano retrasado, que foi sancionado pelo então prefeito Tuca Jordão em 2012, para tornar todo cabeamento existente na cidade subterrâneo. Enquanto isso não acontece, chamei essas três empresas e pedi a retirada dos fios desativados. Só esta ação já vai melhorar muito a aparência das ruas do centro da cidade”, ressaltou o presidente.

Segundo Jorge Eduardo, o deputado federal Fernando Jordão está agendando um encontro para ele no Ministério do Turismo, onde pretende se informar mais sobre os recursos existentes para as cidades históricas e turísticas tornarem sua fiação subterrânea. “Paraty, Ouro Preto (MG) e Balneário de Camburiu (SC) se beneficiaram deste programa do governo federal retirando os cabos de telefone, energia elétrica e televisão a cabo. Angra dos Reis, que tem 512 anos, também merece ser contemplada”, declarou o vereador.

O Projeto de Lei nº 074/2011 obriga as empresas estatais e prestadoras de serviço que operam com cabeamento em Angra, a tornar subterrâneos os cabos existentes na cidade, com prazo de três anos a contar da promulgação da Lei para conclusão dos trabalhos. Segundo o executivo de clientes institucionais da Ampla, Luiz Fernando Cunha, o custo desta mudança não pode ser da concessionária, mas do município. Por tanto, só há condições de iniciar a mudança proposta por lei se a prefeitura arcar com as despesas.

Além da fiação subterrânea, a Lei determina ainda a substituição dos postes por árvores e a aplicação de nova forma de iluminação pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário