sábado, 2 de novembro de 2013

TIM disponibiliza monitoramento de chuvas em áreas de risco

O que você achou? 
A TIM acaba de disponibilizar 150 chips com conexão de dados gratuita para o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), orgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A infraestrutura servirá para o monitoramento da quantidade de chuvas em áreas de risco de deslizamentos e de inundações bruscas em todo o Brasil.

Neste primeiro momento, os chips serão instalados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Santa Catarina. Ainda não foi definida a quantidade de chips para cada região. A distribuição será estudada pelo Cemaden a partir de critérios técnicos. Com o aumento das chuvas, alertas são enviados ao Centro Nacional de Gerenciamento de Desastres - Cenad, que aciona as defesas civil estadual e municipal, para se necessário, remover pessoas das áreas de risco.

Nesta parceria, a instalação e a manutenção dos equipamentos serão de responsabilidade do Cemaden, enquanto a TIM oferece, além do local para a instalação do pluviômetro, os chips para a transmissão dos dados. “Trata-se de um tráfego de dados gratuito com o qual será possível medir, a cada cinco minutos, a quantidade de chuvas nas áreas de risco”, afirma Leandro Guerra, diretor de Relações Institucionais da TIM. A empresa estuda, ainda, a possibilidade de ampliar o investimento no projeto, disponibilizando, até o fim do ano, mais 400 chips. 

Este projeto é mais uma iniciativa do Instituto TIM, que tem como principal objetivo criar e potencializar recursos estratégicos para a democratização da ciência e inovação, promovendo o desenvolvimento humano, utilizando a tecnologia móvel como um dos principais habilitadores. Em agosto deste ano, a TIM lançou o Instituto durante evento no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), que contou com a presença do ministro Marco Antonio Raupp e do presidente da TIM, Rodrigo Abreu. O Instituto TIM já nasceu com oito projetos em andamento, quatro em fase de implantação, com o apoio a quatro museus e centros tecnológicos, além de seis ONGs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário