segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Claro foi a companhia telefônica mais reclamada na Anatel em julho

O que você achou? 
Ultimamente é bem perceptível que a Claro vem se gabando em seus comerciais com a informação de que atinge os melhores índices de qualidade de sinal e internet "de acordo com dados da Anatel", como esse comercial com a Bruna Marquezine, repare na mensagem que aparece no rodapé em 0:18. Mas, existe agora um dado que a empresa de Carlos Slim não vai querer nenhum pouco que se divulgue.

A prestadora Claro foi a que registrou o maior número de reclamações em julho, com 31 queixas a cada 1000 usuários. A informação foi dada pela Anatel nesta semana ao divulgar a avaliação trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal, de maio a julho de 2013.

As demais operadoras registraram índices de reclamação dentro do limite de dez reclamações: Vivo (10 em cada 1000), Oi (9 em cada 1000) e TIM (6 em cada 1000).

Os principais motivos das reclamações apresentadas contra as operadoras são:
  1. Cobrança, 25%;
  2. Promoções, 14%;
  3. Serviços adicionais, 11%;
  4. Cartão pré-pago, 11%;
  5. Rede, 11%;
  6. Atendimento, 7%;
  7. Área de cobertura, 4%;
  8. Planos de serviço, 4%;
  9. Habilitação, 4%.
Segundo a Anatel, as operadoras realizaram até julho, 47% do total de R$ 31,8 bilhões em investimentos para o período de 2012 a 2014, previstos no Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. A Tim se comprometeu com um valor maior de investimento, R$ 10,8 bilhões, sendo que o valor inicial era R$ 9,5 bilhões.

A Oi já desembolsou 35% em relação ao total previsto de 5,4 bilhões. A Claro se comprometeu em investir R$ 8,2 bilhões, tendo realizado 51% até julho. A Vivo previu investir R$ 7,1 bilhões, e já aplicou 55% do total. O restante do investimento ficou por conta da CTBC (R$ 36 milhões) e da Sercomtel (R$ 10 milhões) que executaram, respectivamente, 70% e 40% do investimento.

O investimento está voltado para o aumento da capacidade das redes de serviços, com a expectativa de uma possível migração de usuários para a rede 3G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário