sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Roubo de fios deixou 30 mil pessoas sem internet em cinco bairros

O que você achou? 
Ler e responder e-mails, assistir à série preferida ou mesmo tirar uma certidão negativa de débito. Um furto de cabos em Nazaré impediu estas e outras atividades em diversos bairros de Salvador na manhã desta quarta-feira (07). Mais de 30 mil pessoas ficaram sem internet e outras milhares sem acesso a serviços prestados por empresas e órgãos públicos nos bairros da Barra, Graça, Federação, Canela e Campo Grande.

Munido de uma corda e um gancho de ferro, um suposto usuário de crack alçou os fios de alta tensão em um poste, localizado nos fundos do prédio da Embratel, próximo ao Convento de Nossa Senhora do Desterro. A ação provocou o curto-circuito em um poste, que afetou a rede elétrica, além de cabos da rede de telefonia e internet. 

Além de colocar a própria vida em risco, o ladrão deixou cerca de 100 casas da rua sem energia por 1h30. Em nota, a Coelba (empresa de energia da Bahia) confirmou que o rompimento do cabo de energia foi causado por tentativa de furto da rede elétrica. O fornecimento de energia elétrica foi normalizado ainda pela manhã, por volta das 8h15. Já a Embratel informou que acionou imediatamente as equipes para reparar os cabos de propriedade da operadora, de telefonia e internet, mas não divulgou o prazo de conclusão dos serviços. 


Órgãos públicos e estabelecimentos comerciais, que utilizam máquinas de cartão magnético, também tiveram os serviços interrompidos praticamente durante todo o dia. “Estamos sem sinal de internet e a máquina de cartão não funciona. A maioria dos clientes paga com cartão”, explicou a supervisora de uma lavanderia na Graça Vanessa Bispo dos Santos, 33.

“Estamos parados sem poder trabalhar, sem energia para ligar os equipamentos, sem internet”, reclamou Francisco de Assis Melo, que trabalha na Federação dos Aposentados Pensionistas e Idosos da Bahia, em Nazaré.

O portal da Secretaria Municipal da Fazenda ficou fora do ar e usuários sem poder realizar serviços como retirada de segunda via do IPTU, nota fiscal eletrônica e certidão negativa de débito. Postos da secretaria nos SACs do Iguatemi, Barra, Comércio, Boca do Rio, Cajazeiras, Periperi e Posto Central também ficaram sem oferecer serviços. 

Segundo um técnico da Embratel, que trabalhava no local, Jandir Ferreira Filho, o prejuízo da empresa com o reparo é estimado em R$ 35 mil. “Aqui é um nó de rede importante. Foi um incidente de grande magnitude. Diretamente 10 mil usuários foram atingidos. A telefonia não é afetada porque é contingenciada e se há falha, o próprio sistema comuta outra estação. Eles (usuários) roubam e vendem o quilo de cobre (da rede elétrica) por R$ 3 a R$ 4”, explicou Jandir.

Segundo moradores do bairro, a ação usuários de crack na região é comum. “Eles são acostumados a fazer isso. Aqui à noite fica deserto. Falta policiamento ostensivo. O problema também é uma casa de reciclagem que tem aqui perto, no Largo de São Miguel que compra o cobre”, explica Gustavo Oliveira, 37 anos, morador do local.

De acordo com os técnicos que trabalhavam no reparo da rede, o curto-circuito afetou os equipamentos da Embratel, Oi, GVT e NET. “Um problema desse atinge diversas empresas porque todas são conectadas e compartilham a rede da Embratel, além de usarem o mesmo poste”, disse um técnico de supervisão de fibra ótica que trabalhava no local ontem pela manhã. 

Segundo a Coelba, em 2012, foram registrados 232 furtos na rede elétrica (sendo 177 em Salvador e Região Metropolitana. Só este ano, já foram contabilizadas 180 ocorrências no estado) 97 em Salvador. O furto de cabos e transformadores é crime previsto no Artigo 155 do Código Penal, com pena prevista de dois a oito anos de prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário