quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Call centers migram cada vez mais para o Nordeste

O que você achou? 
O mercado de call center está passando por uma migração de operações para o Nordeste, em busca de uma força de trabalho mais fiel.

A Contax já tem metade dos seus 92 mil funcionários na região, com planos de chegar a 60% até o final do ano, quando serão inaugurados novos centros em Salvador e outra cidade a ser definida.

Fontes da Contax (em linha com o que já disseram outras empresas que tomaram a decisão) afirmam que os salários permanecem os mesmos, enquanto a rotatividade diminui de um ano para três ou quatro em média.

O Nordeste representa 12,5% do faturamento do setor de call center no Brasil, que totalizou R$ 12 bilhões no ano passado, segundo Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos (Sintelmark). São Paulo ainda representa 60%. A Região Sul como um todo fica em 19,5%.

De acordo com a entidade, cidades do Nordeste tem oferecido incentivos fiscais e benefícios para atrair o setor.

Em maio, a GVT abriu um call center em Fortaleza, onde devem ser alocados 1.000 profissionais em 2013, com previsão de dobrar o número no ano que vem. O investimento chega a R$ 12 milhões.

A empresa mantém 4.350 posições em Maringá e Curitiba, mas as contratações nos próximos anos serão concentradas no Ceará.

A AeC, empresa mineira de outsoucing de processo de negócios (BPO, na sigla em inglês), anunciou no começo do ano o investimento de R$ 30 milhões na instalação de dois centros em João Pessoa, na Paraíba. Serão 1,3 mil empregados na capital paraibana, que se somarão aos 5 mil já trabalhando em Campina Grande, a segunda cidade mais importante do estado.

A Oi, por meio da Contax, também mantém operações no Recife e em Salvador, gerando milhares de empregos.

4 comentários:

  1. E enquanto isso os trabalhadores do setor em Minas Gerais sofre com essa manobra da empresa aproveitando a escassez de trabalho da região nordeste deixando milhares de desempregos, pais de famílias apenas visando seu lucro ao invés de rever suas normas e processos internos que prejudicam tanto a saúde de seus funcionários.

    ResponderExcluir
  2. Podem acompanhar, logo logo essas mesmas empresas irão migrar para outras regiões do país deixando milhares de desempregados no nordeste da mesma forma que fazem hoje.

    ResponderExcluir
  3. Pois os processos trabalhistas vão aparecer e crescer, o turn over (rotatividade) vai voltar a ser alto, tudo se a empresa não mudar suas normas de conduta internas que tanto massacra seus funcionários através de assédio moral, controle pesado das pausas e sem falar nas metas inatingíveis.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir