terça-feira, 20 de agosto de 2013

Anatel quer adiantar acessiblidade do 3G e 4G

O que você achou? 


Lançado comercialmente em abril, o 4G ainda tem um longo caminho a percorrer para se tornar acessível ao brasileiro. De olho no potencial econômico, o presidente da Anatel, João Rezende, disse que pretende antecipar a meta de popularização da tecnologia (assim como a de sua antecessora, o 3G) e estendê-la a todo o país até 2018. "Vamos ver se é possível, depois de cálculos financeiros e obrigações de investimentos, antecipar a massificação do 3G para 2015 ou 2016 e do 4G para 2018", afirmou. 

Rezende participou de um workshop sobre conectividade no Rio de Janeiro. Lá, anunciou que o próximo leilão do 4G está previsto para acontecer entre abril e maio de 2014, na faixa dos 700 MHz, hoje ocupada por emissoras de TV aberta, que aos poucos serão remanejadas para dar lugar à tecnologia móvel. De acordo com as metas da Anatel, todas as cidades-sede da Copa do Mundo têm até dezembro deste ano para instalar o 4G na faixa dos 2,5 GHz.

Ainda há muito a ser feito pela banda larga móvel. Levantamento publicado pela Anatel na semana passada concluiu que as metas de qualidade do 3G são respeitadas em apenas três capitais brasileiras: Campo Grande (MS), Cuiabá (MT) e Maceió (AL). Nas outras 23 e no Distrito Federal, ao menos uma empresa das quatro maiores fornecedoras (Vivo, TIM, Claro e Oi) foram reprovadas em algum critério, como taxa de sucesso na conexão com a internet e taxa de queda das conexões.

As duas grandes vantagens da frequência 700 MHz são abrangência do sinal e compatbilidade com aparelhos internacionais, como os produzidos nos Estados Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário