sábado, 6 de julho de 2013

Venda da Sercomtel não irá acontecer

O que você achou? 
O vice-prefeito de Londrina e conselheiro da Sercomtel, Guto Belusci, descartou a possibilidade de venda da empresa de telefonia, mesmo diante dos prejuízos acumulados. Ontem foram lançados dois novos serviços, um Data Center que abriga dados e servidores e a banda ultralarga de 200 mega. A estratégia é de reerguer o fluxo de caixa da operadora pública, que no último mês pediu aporte financeiro de R$ 30 milhões aos sócios.

Belusci disse que uma possível venda sequer é discutida pelo Conselho Administrativo da Sercomtel. "Nós estamos é vendo as possibilidades de melhorar a empresa. Hoje a gente briga para manter boas empresas, principalmente as de tecnologia, na cidade. A gente acredita que a Sercomtel é estratégica para Londrina e também para o Paraná", afirmou.

A operadora de telefonia busca alternativas para tentar deixar as contas no azul. O lançamento dos dois serviços nesta sexta faz parte de uma série de ações que ainda deverão ser divulgadas nos próximos meses. A meta é que em um ano a empresa possa regularizar o caixa e passar a obter lucro. Por uma questão estratégica, o planejamento não está sendo divulgado.

"Não posso falar agora porque há muitas coisas que os sócios precisam discutir. É um desafio, pois a Sercomtel atua num campo muito competitivo e para estar nessa área é preciso desenvolver várias ações. A empresa precisa se manter no mercado, inovadora, moderna e de vangurda, como sempre foi", disse.

No dia 21 de junho, o Conselho Administrativo da Sercomtel formalizou o pedido de aporte de R$ 30 milhões. O vice-prefeito e conselheiro da empresa acredita que a solicitação não será negada. "Certamente vai conseguir. O que está sendo discutido são as maneiras de fazer esse aporte. Dificilmente a Sercomtel consiguirá se manter sem dinheiro", declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário