quarta-feira, 31 de julho de 2013

Mais reclamada, TIM lucra R$ 385,6 milhões. Veja outros resultados

O que você achou? 
A TIM comemora os 15 anos de listagem na BM&FBOVESPA apresentando consistentes resultados do segundo trimestre de 2013 em cerimônia na sede da Bolsa, nesta quarta-feira (31), em São Paulo. Os resultados obtidos demonstram eficiência da estratégia da operadora, baseada nos pilares da qualidade, inovação e transparência.

A base de assinantes chegou a 72,2 milhões, quase um milhão deles conquistados entre abril e junho de 2013. Comparado com o mesmo período do ano passado, o número de clientes aumentou 4,8% e a operadora fechou o trimestre com 27,2% de market share. Um dos destaques foi o incremento do segmento pós-pago, com um crescimento de 14% da base, ante um avanço de 3,3% nas ativações de pré-pagos, o que impactou de forma positiva os resultados financeiros deste trimestre. O número de clientes 3G cresceu 21% no período, motivado, principalmente, pelo aumento da penetração de web e smartphones na base, que chegou a 50%.

Neste período, a TIM registrou um efeito não recorrente em seus resultados (motivado por disputas de interconexão em andamento), impactando negativamente e de forma pontual os resultados em R$ 44 milhões na receita e R$ 31 milhões no EBITDA.


Dessa forma, o lucro líquido “orgânico” alcançou R$ 405,8 milhões, número 17,9% superior ao do segundo trimestre de 2012. O lucro por ação foi de R$ 0,17, um aumento em relação ao mesmo período do ano anterior, quando foi de R$ 0,14. Já a receita bruta, também “orgânica”, cresceu 10% ano a ano, chegando a R$ 7,5 bilhões. O EBTIDA “orgânico” cresceu 4,4% ano a ano, para R$ 1,3 bilhão, em linha com o aumento da receita com serviços.

Pelo segundo trimestre consecutivo, a receita de VAS cresceu fortemente ano a ano, com aumento de 25,3%. O desempenho é consequência do sucesso das ofertas de dados Infinity Web e Liberty Web e Infinity Torpedo, que permite envio ilimitados de SMS. Nesse trimestre, o ganho com VAS correspondeu a 22% da receita bruta dos serviços móveis, chegando a R$ 1,3 bilhão.

A TIM apresentou ainda uma recuperação do ARPU. A receita orgânica média por usuário subiu 0,4%, após 17 trimestres de recuo, alcançando R$ 18,30. O resultado está relacionado aos esforços da operadora para aumentar sua base de clientes de planos pós-pagos e ao desempenho positivo das ofertas de dados. O MOU (Minutos de Uso) também cresceu novamente, alcançando a média de 148 minutos por cliente, alta de 16% ano a ano. A inadimplência segue sob controle, mesmo com o forte crescimento da base de clientes de planos pós-pagos, abaixo de 1% da receita bruta.

“Nesses quase cinco meses à frente da TIM, pude verificar que o desempenho de nosso time está, sem dúvida, entre os melhores de todo o mercado. Temos a força das ofertas [que juntamente com nossa rede de comercialização, os significativos investimentos em infraestrutura e o compromisso com a transparência na comunicação com os clientes] garantem um ótimo posicionamento competitivo. Seguiremos trabalhando para alcançar um desempenho também positivo no segundo semestre de 2013”, aponta Rodrigo Abreu, presidente da TIM Brasil.

No trimestre, o investimento da TIM dobrou em comparação aos primeiros três meses do ano, chegando a R$ 1,1 bilhão. A maior parcela deste montante foi direcionada para projetos de infraestrutura, especialmente para a implantação da tecnologia 4G no país e ampliação da rede 3G.

Graças a uma iniciativa inovadora da TIM de compartilhamento da rede de acesso de rádio no 4G (RAN Sharing), a operadora completou a entrega da rede de quarta geração nas cidades que abrigaram a Copa das Confederações: Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Fortaleza, seguindo as especificações e o prazo estipulado pela Anatel. Além disso, antecipou o lançamento da tecnologia em São Paulo, alcançando 79 bairros da capital paulista no mês de julho, e acaba de chegar a Curitiba, também adiantando a entrega, prevista para dezembro, com bons resultados iniciais de novas adições quando comparadas com o total de mercado.

Já a cobertura 3G chegou a 149 novas cidades no trimestre, totalizando 898 municípios com rede de terceira geração da TIM e 75% da população urbana. A tecnologia Wi-Fi fechou o trimestre com 19 aeroportos cobertos no Brasil: Guarulhos, Congonhas, Brasília, Galeão, Santos Dumont, Salvador, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Campinas, Fortaleza, Pampulha, Confins, Joinville, Uberaba, Maceió, Goiânia, Jacarepaguá e Montes Claros.

No trimestre, a TIM instalou ainda 5,5 mil TRXs e 51 mil channel elements em sua planta de rede no Brasil, elementos responsáveis por adicionar capacidade de tráfego a uma antena para 2G e 3G, respectivamente. Além disso, cresceu em 1,8 mil quilômetros a sua rede de fibra óptica, alcançando um total de 42,5 mil quilômetros. A companhia seguiu com o projeto Fiber to the Site (FTTS), que compreende, em sua primeira etapa, as 14 principais cidades brasileiras e está perto de ter sua fase inicial concluída, com 88% dos sites já conectados com fibra própria.

Essas iniciativas reforçam o compromisso da TIM com o Plano de Melhorias apresentado à Anatel há quase um ano e os indicadores oficiais mostram que a operadora segue no caminho virtuoso. De fevereiro a abril, segundo dados do órgão regulador, o indicador de queda de chamada ficou em 1,1%, abaixo da meta de 2% determinada pela agência. A taxa de 97% no acesso à rede de voz foi a melhor do setor de telefonia móvel, acima da meta de 95%, e a conexão de dados registrou 1,7% de queda (meta 5%). A companhia observou oportunidades de melhoria na conexão de dados e está dedicando esforços para o aprimoramento necessário desse serviço, que tem grande potencial de crescimento para os próximos anos. Vale destacar também que a TIM continuou sendo a segunda operadora com menor índice de reclamações totais na Anatel, além de ser a empresa com menor índice de demandas em seus canais diretos e nos diversos Procons.

Todo o investimento da operadora em infraestrutura e os projetos realizados continuam disponíveis no site Portas Abertas, iniciativa inédita da companhia no mercado de telecomunicações e que mostra aos consumidores (de forma didática e transparente) a evolução da rede da empresa e as ações de melhorias.

Já a oferta de banda larga fixa da companhia, Live TIM, comemora seu primeiro ano com resultados expressivos, se mantendo na liderança do mercado de ultra banda larga (acima de 34 Mega) no Rio de Janeiro e em São Paulo. Foram cerca de 10 mil novos usuários adicionados no segundo trimestre de 2013, alcançando uma base total de 26,4 mil clientes. A empresa fechou o período com 6,3 mil prédios conectados e quase 10 mil autorizados.

O sucesso da oferta é fruto da qualidade do serviço prestado. Pesquisa da operadora realizada com a base de clientes aponta índices de satisfação acima da média do mercado. Nos indicadores relacionados à oferta, 93% dos clientes se declaram satisfeitos, sendo que deste percentual, 40% se declaram “encantados”. No que diz respeito à experiência de uso, os clientes Live TIM relatam experiências mais positivas para assistir filmes e vídeos, postar e baixar músicas e filmes e jogar online.

“A melhor forma de celebrar os 15 anos de listagem na BM&FBOVESPA são os resultados que comprovam a consolidação da TIM no mercado brasileiro e a sua posição entre as maiores empresas do País. Vamos continuar essa trajetória de sucesso, reforçando ainda mais a nossa marca como a de uma empresa que preza pela qualidade, transparência e inovação. Os números apontam para essa direção, com bons indicadores dos resultados do trimestre e um bom progresso de nosso plano estratégico, além de muitas oportunidades pela frente. Tenho convicção de que a companhia apresenta todas as condições necessárias para seguir crescendo de maneira bem sucedida, mantendo as ofertas inovadoras que permitem aos nossos clientes falar mais, navegar mais e ir mais longe”, finaliza o presidente Rodrigo Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário