quarta-feira, 12 de junho de 2013

Procon mapeia “apagão” no sinal dos celulares e vai cobrar das operadoras

O que você achou? 


Após percorrer toda a cidade, o livro de denúncia para identificar a falta de sinal das operadoras de celulares no perímetro urbano de Umuarama, criado pelo Procon - PR, voltou. Com os dados levantados, a Secretaria de Proteção e Defesa do Consumidor confeccionou um mapa identificando os principais pontos do problema e posteriormente vai entrar em contato com as operadoras pedindo providências e melhorias.

Segundo o secretário de Proteção e Defesa do Consumidor, Sandro Gregório, no livro os usuários da telefonia móvel denunciaram a falta de sinal em várias localidades da cidade de Umuarama, principalmente na Zona 2 e bairros periféricos. “Ao denunciar, as pessoas registraram nome e CPF, além do tipo do problema. Em vários pontos de Umuarama, como Jardim dos Príncipes, região do Detran e Harmonia, os celulares não funcionam pela falta de sinal”, disse.

Com os dados a equipe do Procon montou um mapa edificando por rua a falta de serviço. Agora a intenção e propor um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) junto às operadoras pedindo melhorias na prestação de serviço aos seus clientes. “Muitas pessoas deixaram de ter telefone fixo e hoje utilizam apenas o celular e esses precisam funcionar em toda região da cidade. Imagina se em um momento de desespero ou emergência a pessoa precisa do celular, mas não tem sinal?”, esclareceu.

Ainda segundo o secretário, o grande número de linhas habilitadas e a falta de investimento das operadoras causam esses “apagões”. “Hoje você compra um celular e ganha dois chip. Não há um controle e o número de linhas telefônicas cresce todo dia, ao contrário dos investimentos das operadoras. Com as assinaturas neste livro teremos um documento para cobrar mais investimentos dentro da cidade, como também na região”, esclareceu.

Em pleno ano de 2013, muitos bairros de Umuarama estão fora do mapa das grandes provedoras de internet, como Oi e GVT, e sem previsão para entrar na era da banda larga via cabo. Moradores do Jardim Cruzeiro, Ouro Branco, Córrego Longe e Alphaville são exemplos de consumidores que não são atendidos pela banda larga, via cabo.

Como o apagão no sinal dos celulares, a internet pode ser a próxima empreitada do Procon de Umuarama. Existe a possibilidade da equipe da Secretaria de Proteção e Defesa do Consumidor atuar também nessa frente.

Enquanto isso, a melhor opção para esse grupo é a internet via rádio. Já para quem opta pelo serviço via cabo o problema é o preço alto e a assistência quase inexistente.
Em época de grandes evoluções tecnológicas, com uma estrutura ultrapassada as operadoras não conseguem cobrir todos os bairros da cidade.

Segundo o ministério da Justiça, os Procons do País realizaram no ano passado 2.031.289 atendimentos de consumidores, 19,7% a mais do que o registrado em 2011 (1.696.833). Para a Secretaria Nacional do Consumidor, a alta se deve ao aumento no número de pessoas consumindo no país e, consequentemente, da procura pelos Procons para tirar dúvidas e reclamar.

De acordo com o levantamento, as queixas relacionadas às telecomunicações (telefonia celular e fixa, TV por assinatura e internet) representaram 21,7% do total, contra 17,4% em 2011. Problemas relacionados a cobranças (desde falta de informação adequada sobre valores até a inclusão indevida e cobrança dupla) foram motivo do maior número de queixas que chegaram aos Procons no ano passado: 702.682, o equivalente a 37,42% do total.