terça-feira, 4 de junho de 2013

Oi anuncia seu novo presidente

O que você achou? 
O presidente executivo da Portugal Telecom (PT), Zeinal Bava, vai deixar a liderança da operadora de telecomunicações portuguesa e assumir a presidência da Oi.

Henrique Granadeiro, atual chairman (presidente não executivo), assume o lugar de Bava, voltando a acumular os dois cargos de topo na PT, confirmou a operadora em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Luís Pacheco de Melo, responsável financeiro do grupo e membro da comissão executiva, sobe a vice-presidente.

Bava, na liderança da PT desde 2008, vai, no entanto, manter-se como presidente da área de negócios operacionais da operadora em Portugal, focando-se nos “projetos estratégicos e de inovação” e fazendo a ponte neste campo com a Oi.

A PT é acionista da Oi e a Oi acionista da PT. A dança de cadeiras acontece numa altura em que a operadora portuguesa procura reforçar sinergias com a Oi para crescer no mercado brasileiro, onde está em fase de modernização de infra-estruturas e onde procura crescer no segmento móvel.

A liderança da Oi está interinamente a ser assegurada desde Janeiro por José Mauro Carneiro da Cunha, após a saída da presidência executiva de Francisco Valim, que, segundo a imprensa brasileira, terá alegadamente sido afastado por desentendimentos com os principais acionistas, onde se inclui a PT.

O gestor português era já apontado como provável a assumir o cargo, quando, em Março o Expresso deu conta de que dois bancos de investimento estudavam a hipótese de as duas operadoras “avançarem para uma união transatlântica”.

O presidente do BES, o principal grupo acionista da PT, já veio pronunciar-se sobre as mudanças hoje conhecidas, mostrando-se convicto de que “Zeinal Bava irá, com a sua reconhecida competência e experiência, imprimir uma nova dinâmica à Oi”.

“Estou muito satisfeito que ele tenha aceitado este desafio”, o que fez “a pedido dos grandes investidores”. Para o banqueiro, amigo pessoal de Henrique Granadeiro, que substitui Bava à frente da PT, o núcleo Oi|PT sai a ganhar com este movimento”, por ocupar “um patamar superior no mercado global de telecomunicações” e quando “está a caminho dos 100 milhões de clientes”.

Bava já liderava na Oi o Comitê de Engenharia & Redes, Tecnologia & Inovação e Oferta de Produto. O reforço de poderes no grupo brasileiro é visto pela PT como decisiva para a “parceria estratégica” e para “a cristalização do valor de sinergias” entre os dois grupos.

O trabalho deste comitê, sublinha a PT em comunicado, “tem contribuído decisivamente para uma gestão operacional cada vez mais integrada e convergente” entre as operadoras, “mobilizando muitos quadros” dos dois grupos. A parceria, celebrada na chamada “Aliança Industrial”, tem passado pela “convergência fixo-móvel, na banda-larga móvel, na TV por subscrição e no triple-play [TV, Internet fixa e telefone fixo]”.

O anúncio das mudanças de gestão colocou em alta as ações das duas empresas. Os títulos da Oi na Bolsa de São Paulo (no índice Bovespa) disparavam 15% até a publicação desta matéria. Na Bolsa de Lisboa, a PT foi a cotada do PSI-20 que mais valorizou. Com uma subida de 6,961%, a cotação fechou nos 3,365 euros.