segunda-feira, 3 de junho de 2013

Após parceria com a Vivo, Apontador projeta crescimento de 40%

O que você achou? 


A holding LBS, dona do Apontador e Maplink, se prepara para ter mais um ano de expansão rápida. Há 13 anos ativa na internet de forma independente (sem ligação com qualquer grupo de mídia local ou internacional) a empresa brasileira entra em uma nova fase, em que pretende elevar em 40% a receita de R$ 25 milhões registrada em 2012, conforme afirmou ao TeleSíntese o CEO, Moacir Kang. 

Um dos fatores para o otimismo de Kang está na parceria do Apontador com a operadora Vivo no serviço Perto de Você, anunciada em meados de maio. Apesar de ser um dos maiores sites da internet brasileira com 17 milhões de usuários únicos por mês (a população brasileira é de 200 milhões), tendo registrado recorde de acesso em abril, tanto em termos de usuários quanto de visitas, o Apontador ainda sofre para reverter a popularidade em receita e é aí que entra a operadora, com todo seu peso. Atualmente, boa parte das receitas da holding vem de produtos corporativos, aplicativos de rotarização, por exemplo.

“A Telefônica|Vivo é uma máquina de vendas, presente em todo o país. Por meio da parceria, ajudamos com nossa presença nacional e tecnologia, combinamos as soluções, e eles entram com essa capacidade de chegar ao comércio e serviço local, para quem vendem a conexão. Eles podem oferecer mais”, explica Kang, acrescentando que a parceria entre as duas empresas foi discutida com cuidado para ser sólida e longa. Pelo acordo, o serviço Perto de Você, da Vivo, passa a utilizar a plataforma apontador e as empresas têm um acordo comercial sigiloso de divisão da receita de clientes.

O modelo do Apontador+ prevê que o pequeno estabelecimento pagará mais para ter uma posição de destaque nas buscas internas, pra incluir um visual diferenciado com possibilidade de chat, cupons, vídeos e etc, além da possibilidade de moderar os comentários do público. “Para um pequeno lojista isso pode fazer toda a diferença. Estamos em um mundo onde não existe mais o Páginas Amarelas e somos mais baratos do que o anúncio de TV, rádio e revista”, diz Kang.

Neste caminho, diz ele, um dos desafios é avançar no mundo mobile, algo que vem acontecendo, de acordo com o CEO: o número de downloads do aplicativo móvel do Apontador se aproxima do marco de 1 milhão.

Outro desafio que Kang pretende superar em alguns meses é o capital disponível para investimento em inovações na plataforma, produtos e serviços, com o aporte de um fundo de investimento, ainda em negociação. “Nos últimos dois anos estivemos mais quietos, mas posso dizer que agora voltaremos à mídia. Estamos analisando aporte de investidor e teremos algo fechado nos próximos meses”, diz.

O aporte será últil, por exemplo, para um dos avanços no negócio de negócio do Apontador, que avança para a venda direta dos serviços e produtos de seus clientes, dentro da plataforma. Atualmente, a holding já conta com um site de venda de cupons de produtos e serviços, mas algo ainda não totalmente integrado à plataforma, e mantém parceiros neste segmento, como o Grubster. Mas a LBS quer mais e por isso está desenvolvendo uma plataforma de pagamento dentro o próprio Apontador que deverá entrar em operação em alguns meses.