sábado, 11 de maio de 2013

Vila fica sem celular e internet

O que você achou? 
Na Vila Bianca, região de Santana, na Zona Norte de São Paulo, moradores e comerciantes reclamam da falta de sinal nos celulares, bem como de falhas no acesso à internet móvel oferecida pelas prestadoras do serviço. A Rua Antônio de Campos Machado, esquina com a Rua Tenente Rocha, próximo à Associação dos Moradores de Vila Bianca, é o ponto onde a situação é pior.

De acordo com o líder comunitário e presidente da associação de moradores, Rinaldo Félix da Costa, de 47 anos, há mais de cinco anos existe essa dificuldade. “Quando estou em casa tenho de sair para a rua para pegar o sinal e conseguir fazer uma ligação. Isso não se aplica somente à uma operadora. Creio que seja pela localização do bairro, pois estamos rodeados de prédios”, disse.

Maira Moumdjian, 31, gerente de uma agência de turismo, paga mensalidade de duas operadoras diferentes no celular, mas nenhuma delas funciona direito. “É uma opção, mas às vezes não adianta. Nenhuma das duas funciona. Isso prejudica o nosso trabalho, ainda mais para quem precisa ligar para vários estados do Brasil”, disse.

Com a internet também é assim. Rinaldo, quando precisa acessar à rede por meio do seu plano 3G, tem de sair com o notebook na rua ou andar pelos cômodos da casa para tentar a conexão.

“Onde já se viu isso. É um absurdo. Estamos ao lado da Avenida Braz Leme, uma região importante de São Paulo, e temos de reclamar desse tipo de problema ainda”, desabafou.

Procurada pelo #Minha Operadora, a Anatel informou que reclamações sobre má cobertura podem ser feitas junto ao órgão, caso o contato com a operadora não tenha sido eficaz. Para isso, os números 1331 e 1332 (problemas auditivos) recebem ligações gratuitas. Disse ainda que, a partir da reclamação, fará análise para averiguar as causas do problema.

A TIM (coincidentemente a mais reclamada) afirmou que possui cobertura na Rua Antônio de Campos Machado e esclareceu que eventuais falhas de sinal podem ocorrer em função do local que o cliente está utilizando o serviço. A empresa disse que em áreas de sombra os problemas de telefonia móvel e fixa são comuns, decorrentes do relevo. Também provocam falhas construções que obstruem o sinal e distância da ERB (estação radio-base). A Claro informou que enviará um técnico no local para avaliar que tipo de interferência pode estar ocorrendo na região. A Vivo disse que enviou técnicos ao local ainda ontem, fez testes nas ERBs que atendem a área e não detectou problemas no sinal. A Oi não se pronunciou.

Lembramos que a porcentagem mínima da área urbana que deve ser atendida por cobertura telefônica segundo a Anatel, é de 80%.