segunda-feira, 20 de maio de 2013

Fios soltos levam riscos à população

O que você achou? 


Quem transita pelas ruas de Fortaleza - CE no dia a dia não demora muito a se deparar com uma cena comum em muitos lugares da cidade: fios caídos dos postes, invadindo parte das calçadas e das ruas, ou ainda fios telefônicos e de alta tensão com altura abaixo do regulamentado, consolidando-se numa ameaça aos motoristas, principalmente aos motoqueiros.

A altura regulamentar que o fio deve ficar do solo é de cinco metros, para fios telefônicos, e 4,60 a 4,80 metros para fios elétricos, a distância pode variar dependendo de vários fatores, entre eles, o local e a carga de eletricidade. Em geral, fios de baixa tensão devem ficar distantes cinco metros do solo; média tensão, seis metros e alta, oito metros.

No bairro Vila União, uma equipe da operadora telefônica realizava manutenção em alguns fios que estavam caídos. De acordo com técnico João Eudes, que estava fazendo o serviço, diversos fatores são responsáveis pela alta incidência de fios baixos ou partidos. "Com o tempo, os postes acabam ficando mais soltos no chão e pendem um pouco. Isso acarreta na diminuição da tensão que mantém o fio esticado e ele acaba ficando mais baixo. Outro fator que também influencia bastante são as colisões", explica ele, lembrando as batidas de veículos.

O técnico também explicou que os fios telefônicos não oferecem risco de choques, mas adverte sobre outro perigo que eles causam. "Quando os fios estão muito baixos e são transversais às ruas, isso pode ser um risco para os motoqueiros. O fio, na verdade, é um cabo de aço. Se atingir em cheio um motoqueiro pode ferir ou até mesmo matar".

No bairro Dionísio Torres, a beleza dos prédios e das grandes construções contrasta com os fios embaraçados e soltos sobres os postes. É comum visualizar fiações baixas e até mesmo ligações clandestinas de energia. No cruzamento da Av. Antônio Sales com a Rua Tibúrcio Cavalcante, onde a Prefeitura realiza uma das obras do Transfor, existem alguns fios soltos pelo chão.

De acordo com um funcionário da obra, os fios pertencem à companhia de telefonia e estão desativados. Na Avenida da Universidade, no bairro do Benfica é também é possível constatar diversos fios em altura abaixo do permitido.

Já na Av. Alberto Craveiro, onde ocorrem as obras de mobilidade urbana visando à Copa das Confederações e o Mundial de 2014, diversos fios telefônicos e de alta tensão estão no solo. É que com o alargamento da avenida, os postes e a fiação estão sendo trocados.

O motoboy Edimário Cruz trabalha percorrendo diariamente nas ruas de Fortaleza. Apesar de nunca ter se envolvido em acidente ocasionado pela fiação dos postes, ele diz que já encontrou vários fios soltos pelas ruas. Para o motoboy, o problema está na fragilidade dos cabos.

A Companhia Energética do Ceará (Coelce) afirmou que não há fios pertencentes à companhia de forma irregular na cidade e que problemas com a fiação podem ser causados por fatores externos, como batidas de automóveis, chuvas, entre outros.

Segundo Eduardo Gomes, responsável pelas operações da Coelce, há um monitoramento para acompanhar possíveis danos e logo que é detectado problema, a Companhia providencia a restauração com urgência.

A equipe do portal tentou contato com a Assessoria de Comunicação da empresa Oi, mas não obteve as respostas solicitadas.