quarta-feira, 22 de maio de 2013

Compartilhamento da Oi e TIM não reduz conflito por EILD entre prestadoras

O que você achou? 


O acordo de compartilhamento de rede 4G entre Oi e TIM não amenizará a disputa por EILD (Exploração Industrial de Linha Dedicada) entre as duas operadoras. Segundo o diretor de Assuntos Regulatórios da prestadora italiana, Carlos Franco, esse tipo de operação não está prevista no contrato, porém ele não vê problemas em compartilhar os pontos de wi-fi, assim como a rede 4G na faixa de 700 MHz, que ainda será leiloada. “Linha dedicada nós vamos buscar no mercado”, afirmou.

O acordo atual entre as operadoras já está funcionando nas seis cidades-sede da Copa das Confederações. A TIM está responsável pela gestão em Recife, enquanto a Oi, pela gestão no Rio, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza e Brasília. “A divisão é por site instalado, a equivalência se dará com a gestão em São Paulo pela TIM”, disse Franco.

A divisão de gestão entre TIM e Oi não afasta a responsabilidade das duas operadoras perante a Anatel e os consumidores, afirma Franco. Ele disse que o acordo estabeleceu a criação de uma unidade de planejamento conjunta, que definirá inclusive os investimentos necessários à rede. “Isso não impede, entretanto, que as operadoras resolvam problemas diretamente”, disse. E ressalta: a diferenciação competitiva entre as prestadora se dará por meio de planos de serviços criativos e na relação direta com os usuários.

Para o representante da Nokia, Wilson Cardoso, a implantação do RAN Sharing no Brasil aconteceu muito rapidamente, ao contrário do que foi feito em outros países. “Haverá soluções técnicas para os problemas na rede, mas o acompanhamento terá que ser reflexivo na governança desse compartilhamento”, disse.