segunda-feira, 22 de abril de 2013

Vivo investirá R$ 25 milhões em Sorocaba

O que você achou? 
Para acompanhar o crescimento econômico de Sorocaba, a empresa de telefonia Vivo investirá R$ 25 milhões na cidade neste ano. Com relação ao montante investido no município durante 2012 (R$ 18,7 milhões) houve crescimento de 25%. Serão construídas cinco novas antenas para ampliação do sinal 3G e há um plano de obras para novos cabeamento da cidade e manutenção dos já existentes. O valor contempla ainda a concorrência para fornecimento da infraestrutura de telecomunicação do Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS), licitação que deve ser aberta em breve.

Como explica o diretor nacional para Pequenas e Médias Empresas da Vivo, Raphael Denadai Sanchez, os investimentos contemplam os segmentos residencial e comercial. "Sorocaba é uma cidade que recebe uma atenção específica por conta desse momento interessante", comenta. Segundo ele, os investimentos são feitos para que a empresa acompanhe o crescimento econômico da cidade que acaba de receber uma montadora de automóveis e inaugurou recentemente um parque tecnológico.

Fornecer a infraestrutura de telecomunicação para o PTS é outro objetivo da empresa em Sorocaba. Sanchez lembra que o parque conta com a presença de diversas universidades e laboratórios de alta tecnologia. "São entidades que vão precisar de uma rede de Telecom rápida, eficiente e segura", pondera o diretor. Ele explica que o município fará licitação para a concorrência e o custo estimado é de R$ 1 milhão.

Parte do investimento feito na cidade será para ampliar o sinal 3G. Sanchez explica que a medida é necessária por conta do aumento de aparelhos e planos para celulares que demandam acesso rápido à internet. "Temos a liderança com 58% do mercado sorocabano. Precisamos manter essa posição e realizar investimentos, para isso, é fundamental", ponderou. Segundo ele, durante o ano passado, a empresa aumentou em 60% a capacidade de acesso à rede 3G na cidade.

A construção de cinco estações rádio base vai aumentar ainda mais a capacidade de acesso rápido à web por meio da operadora. O diretor explica que essas estações são antenas para ampliar o sinal 3G. As construções devem ser concluídas no ano que vem e cada unidade terá custo entre R$ 300 mil e R$ 1 milhão. Sanchez informa que duas já tem local definido e ficarão no bairro Ana Maria e próximo à rodovia Castelinho as outras estão ainda no processo de negociação.